Escândalo da Prevent Senior e Hapvida com cloroquina: Bolsonaro e sua ideologia da morte - Revista Camocim

















sexta-feira, 24 de setembro de 2021

Escândalo da Prevent Senior e Hapvida com cloroquina: Bolsonaro e sua ideologia da morte



Por Paulo Emanuel Lopes*


O escândalo da Prevent Senior estarreceu muita gente no Brasil. A empresa, uma operadora de planos de “saúde” (a palavra está entre aspas para diferenciar interesses públicos e privados. Neste contexto, saúde trata-se de um serviço negociado por uma empresa, não um bem difuso, individual e coletivo), forjou estudo secreto com pacientes que receberam medicamentos sem comprovação científica contra a Covid-19 - mortes foram omitidas no estudo, de modo a aparentar que a cloroquina tivesse resultados positivos contra a doença. Ou seja, brasileiros foram cobaias de um experimento ideológico (a tal saúde entre aspas) sem o saber [1].


Pessoas conhecidas na mídia estão entre os prejudicados pelo chamado “Kit Covid”, como é o caso do médico Anthony Wong, que ficou famoso nas redes sociais por defender o tal “tratamento precoce” contra a doença. A Prevent Senior não registrou a causa da morte de Wong, Covid-19, para evitar críticas ao "tratamento" defendido pelo Presidente da República. Outro caso foi o de dona Regina, mãe do empresário bolsonarista Luciano Hang. A Prevent Senior teria omitido os procedimentos utilizados na tentativa de salvar esta senhora, de modo a não atrapalhar a ideologia vendida por seu filho, defensor do "tratamento precoce" [1].


O escândalo só foi descoberto porque um grupo de 12 médicos da operadora de "saúde" produziu um relatório com as arbitrariedades e o apresentou à Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid-19 no Senado Federal. Após a denúncia, um dos médicos recebeu ligação do diretor-executivo da empresa, que ameaçou sua família e sua carreira profissional. O médico denunciante do escândalo gravou a ligação e registrou um Boletim de Ocorrência (B.O.) contra o diretor. [2]


Mas este não é o único absurdo que a ideologia mórbida disfarçada de “tratamento precoce”, propagada pelo Presidente-Morte do Brasil desde o início da pandemia, nos causou esses últimos meses.


Em agosto de 2020, reportagem de Vinícius Lemos para a BBC Brasil mostrou o submundo do pensamento dos gestores da cearense Hapvida, hoje terceira maior operadora de planos de saúde no Brasil. “A partir de hoje, TODOS os pacientes irão sair com a medicação da hidroxicloroquina (exceto os contraindicados)”, orientou um médico coordenador do Hapvida no interior de São Paulo. A ordem para prescrever o medicamento foi tão enfática que médicos que não concordassem iriam ser substituídos. O “coquetel” defendido pelo Hapvida incluiu ainda azitromicina, ivermectina e o corticoide prednisona – o tal “kit covid” defendido por Bolsonaro. [3]


Por sorte, um médico cearense decidiu botar a boca no trombone e denunciar o Hapvida. Felipe Nobre foi entrevistado pela BBC Brasil. Ele afirma que a pressão intensificou a partir de maio do ano passado, “(...) queriam que entregasse [cloroquina] para qualquer caso de sintoma gripal. Os coordenadores mandavam estudos de baixa qualidade para justificar”, denunciou à reportagem. “Sigo a medicina baseada em evidência. Se não tem comprovação científica e há estudos dizendo que podem aumentar os problemas do paciente, não era aceitável prescrever”, explicou o médico, que acabou demitido poucos dias depois de reclamar a seus superiores.


Em abril deste 2021, a empresa bilionária foi multada em quase 500 mil reais em ação movida pelo Ministério Público do Ceará por obrigar médicos a receitar cloroquina [4] – parece muito, mas para a empresa o valor representa alguns dias de faturamento.


O que levou essas duas grandes operadoras de “saúde” a adotarem um tratamento que não tem comprovação científica? Mas primeiro, é importante perguntar: Cloroquina serve contra a Covid-19?


No início da pandemia, estudos relataram benefícios contra a Covid-19 após uso do medicamento. Isso gerou uma expectativa muito grande em todo o mundo - era uma esperança real de salvar vidas. Acontece que, à medida que a pandemia foi avançando, estudos mais bem elaborados mostraram que o remédio não serve nem para prevenir nem para tratar a doença [5]. Hoje, instituições como a Organização Mundial da Saúde (OMS), a Agência Europeia de Medicamentos e a própria Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) do Brasil afirmam que não há evidências científicas que comprovem a eficácia da cloroquina contra a Covid-19. E pior: “estudos associaram doses altas dos medicamentos a um risco maior de problemas cardíacos e distúrbios neuropsiquiátricos, incluindo agitação, insônia, confusão, psicose e tendências suicidas.” [6] 


Segunda pergunta chave: por que empresas de “saúde” consolidadas optaram por investir em um tratamento que, além de não curar a doença, pode piorar a saúde dos pacientes? Lembra quando Bolsonaro dizia que ia acabar com a ideologia esquerdista no governo? Pois é… com essa desculpa para ganhar votos, ele impôs ao País uma ideologia medíocre que, além de não gerar benefícios, ainda mata.


Bolsonaro quis vender o seguinte: confiem em mim que sou o Messias! O sistema político quer me destruir, querem que todos fiquem em casa de quarentena, assim a economia vai parar e eu não vou ser reeleito! Tomem o medicamento e vão trabalhar! Assim, enquanto ele aparecia como mártir, brasileiros iam morrendo na esperança do medicamento servir. Tudo foi uma questão de votos.


Mas graças ao corajoso médico cearense Felipe Nobre e aos 12 grandes médicos que denunciaram o escândalo da Prevent Senior, todas essas barbaridades puderam vir a público. Nossa gratidão por terem honrado o Juramento de Hipócrates, elevando-o acima da ganância por dinheiro e poder que alguns carregam! 


Laia também: 




*Blogueiro, jornalista e publicitário. Escreve às sextas.


 [1] “Quem é o repórter que detonou o escândalo da Prevent Senior” https://www.terra.com.br/diversao/tv/blog-sala-de-tv/quem-e-o-reporter-que-detonou-o-escandalo-da-prevent-senior,6da1ce7e45e8e0b12bec8793d4a329aeyh4bgo6a.html 


[2] "Médico da Prevent Senior relata ameaças de diretor da empresa que é ouvido pela CPI da Covid nesta quarta” https://g1.globo.com/google/amp/sp/sao-paulo/noticia/2021/09/22/medico-da-prevent-senior-relata-ameacas-de-diretor-da-empresa-que-e-ouvido-pela-cpi-da-covid-nesta-quarta.ghtml 


[3] "‘Nos dispensaram por não prescrever cloroquina contra a covid-19’: médicos acusam operadora de saúde” https://www.bbc.com/portuguese/geral-53715127.amp 


[4] "Operadora é multada em R$ 468 mil por forçar médicos a receitar 'tratamento precoce' contra covid-19” https://www.bbc.com/portuguese/geral-56909965.amp 


[5] “Os principais estudos científicos que derrubaram a cloroquina” https://veja.abril.com.br/saude/os-principais-estudos-cientificos-que-derrubaram-a-cloroquina/ 


[6] “OMS, Europa e Anvisa não recomendam cloroquina para tratar a Covid-19” https://www.cnnbrasil.com.br/saude/entenda-as-recomendacoes-das-instituicoes-de-saude-contra-o-uso-de-cloroquina/

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.