Vereador é suspeito de encomendar homicídio em Quixadá por vingança à morte do irmão - Revista Camocim

Clique na imagem e fale com a gente

Clique na imagem e conheça nossos produtos e ofertas

Clique na imagem e conheça nossos produtos e ofertas

Financiamento a partir de R$160 mil.Venha conversar com a gente. Clique na imagem.


Em Camocim, hospede-se nos hotéis Ilha Park e Ilha Praia Hotel. Clique na imagem e faça sua reserva




quarta-feira, 31 de janeiro de 2024

Vereador é suspeito de encomendar homicídio em Quixadá por vingança à morte do irmão


A primeira linha de investigação sobre o assassinato de um homem, em Quixadá, no Interior do Ceará, na manhã da última segunda-feira (29), é que o crime foi ordenado pelo vereador por Choró, Manoel Carneiro de Figueiredo Neto, conhecido como 'Neto Carneiro', por vingança ao assassinato do seu irmão. Mas a Polícia Civil do Ceará (PC-CE) investiga outras possibilidades, como a disputa entre facções criminosas e a versão do político de que foi raptado.


'Neto Carneiro', de 39 anos, foi preso em flagrante pela Polícia Militar do Ceará (PMCE), junto de Carlos Henrique da Silva Flor, 30, e Francisco Felipe de Lima Nascimento, 21. Um adolescente de 17 anos foi apreendido. O grupo estava na posse de duas armas de fogo, carregadores e 23 munições.


Conforme documentos obtidos pelo Diário do Nordeste, um dos suspeitos capturados afirmou que foi contratado pelo vereador para matar Danilo André Vieira, conhecido como 'Danilo Ventão', em vingança ao assassinato de Edimar Carneiro, irmão do político. Edimar teria sido morto em agosto do ano passado.


Outro suspeito afirmou que o crime foi motivado pela disputa entre facções criminosas pelo domínio do tráfico de drogas em Quixadá. Francisco Felipe e o adolescente afirmaram à Polícia Civil que são integrantes de uma facção carioca, enquanto a vítima seria ligada a uma organização criminosa de origem cearense. Felipe afirmou que o seu tio, Marcelo Pereira Martins, também foi executado a mando de 'Danilo Ventão', em maio de 2023.


Vereador sustenta que foi raptado


Manoel Carneiro de Figueiredo Neto nega participação no crime. Em depoimento à Polícia Civil, o vereador sustenta que a versão de que ia visitar uma fazenda, com o tratador de cavalos, Carlos Henrique da Silva Flor, quando foi abordado por dois homens armados, na manhã da última segunda (29).


Segundo o político, a dupla armada entrou em seu veículo e ordenou que ele dirigisse até um posto de combustíveis. Ao chegar lá, os homens saíram do automóvel para matar Danilo André Vieira, mas Manoel conta que não ouviu os disparos.


A dupla voltou ao veículo e 'Neto Carneiro' voltou a dirigir. O vereador conta que ainda tentou pedir socorro para uma equipe da Polícia Militar, que não viu o seu sinal. Logo depois, o carro em que estavam os quatro homens foi abordado, e eles acabaram presos.


Os suspeitos foram levados à Delegacia Regional de Quixadá, onde os três adultos foram autuados em flagrante por homicídio doloso. Já o adolescente foi autuado por ato infracional análogo ao crime de homicídio. Carlos Henrique tinha antecedentes criminais por roubo a pessoa e tráfico de drogas e Francisco Felipe, por porte ilegal de arma de fogo.


Diário do Nordeste