Criança esquecida em transporte escolar de Barroquinha: secretária tenta minimizar o caso " não aconteceu nada", disse. - Revista Camocim

Super promoção "Matrícula Premiada" do Colégio Future.

Super promoção "Matrícula Premiada" do Colégio Future.

Colégio Future com matrículas abertas para 2023

Colégio Future com matrículas abertas para 2023

Clique na imagem e conheça os cursos preparatórios e apoio educacional


Clique na imagem e conheça os produtos







sexta-feira, 3 de junho de 2022

Criança esquecida em transporte escolar de Barroquinha: secretária tenta minimizar o caso " não aconteceu nada", disse.

Criança passou a manhã inteira trabcada dentro do carro, em uma oficina, e isso "não aconteceu nada?"



A secretária da educação de Barroquinha, professora Ateriana, tentou minimizar o caso de irresponsabilidade cometido pelo motorista do município que esqueceu, trancada no transporte escolar, uma criança durante toda a manhã de ontem (02).  Ela disse em alto e bom tom que "não aconteceu nada".   Assista AQUI à entrevista




Ao Portal Sobral Online, de forma leviana, a  secretária atribuiu  culpa aos vereadores  — inclusive não poupou nem os aliados do Jaime Veras -. Disse que a câmara foi insensível ao reprovar, no ano passado, um projeto de lei que garantia a contratação de "cuidadores" para preservar a integridade das criança no trajeto escolar. Disse ainda que  neste ano o projeto foi aprovado mediante "mobilização da sociedade" e que em julho os profissionais estarão atuando nos transportes. 


Leviana


Primeiro, a secretária esqueceu de informar que o projeto apresentado no ano passado não foi aprovado por conta de várias irregularidades. Sendo assim, tudo o que o prefeito deveria ter feito, e não fez, era ter corrigido as falhas e ter reenviado novamente a matéria, em caráter de urgência, se fosse o caso —  ressalta-se: ano passado não teve aulas presenciais -.  O prefeito reenviou o projeto para a Câmara apenas neste ano, no mês passado, maio. Como não apresentava falhas, foi aprovado. 


Quase que lamentando, a chefe da educação de Barroquinha disse que as crianças ficavam apenas sob os cuidados dos motoristas, dando a entender que não era muito da alçada deles a função de cuidar.  E aqui, mais uma vez, Arteriana foi leviana.  Explico nas linhas a seguir.


Nos últimos 12 anos, antes dessa gestão Jaime Veras,  não ocorreram problemas no transporte escolar dos alunos. Sabe por que, secretária? Por que, todos os motoristas eram orientados, sabiam quantas crianças tinham que conduzir diariamente e checavam o carro logo que todos os alunos desembarcavam na escola e em suas respectivas residências. Eles levantavam a bunda da cadeira, por que levavam crianças e adolescentes, e sabiam das suas obrigações e o peso da responsabilidade. 


Certamente os motorista da gestão Jaime não receberam capacitação, e se duvidar muitos nem ao menos são habilitados. A saber: existe esse comentário no município. É um caso a ser investigado pelos vereadores e pelo Ministério Público. 


 Ainda na gestão Ademar, em 02 anos, o Detran esteve  no município fiscalizando todos os transportes escolares. Para completar,  o  TCM ainda realizou uma fiscalização por amostragem. 


Dados os necessários esclarecimentos, é bom se deter no ponto alto da entrevista desastrosa da secretária, que se deu quando ela tentou minimizar o ocorrido afirmando que "não aconteceu nada!".  


Como assim? Não aconteceu nada? Precisaria a criança ter morrido por falta de ar no transporte? É normal esquecer crianças em transportes? 


Não sei se a secretária costuma ler ou assistir noticiários, mas consta fatos de pais sendo indiciados  por "homicídio culposo" após terem esquecido seus filhos trancados nos veículos ocasionando morte.  Então, veja bem secretária: ocorreu, neste caso em Barroquinha, algo que poderia ter levado à morte uma criança. E se isso não é grave para a senhora, pergunte aos pais e parentes da aluna?  
A senhora já imaginou o desespero da mãe? E se essa mãe surta, altera a pressão arterial e morre?


Não, definitivamente, isso não foi nada pontual, foi crime de negligência. O motorista foi negligente e omisso no exercício de cuidar das crianças que transportava. Negligente e omisso o motorista e também  o município. 


O artigo 5.º do Estatuto da Criança e  do Adolescente deixa bem claro: "Nenhuma criança ou adolescente será objeto de qualquer forma de negligência...punido na forma da lei qualquer atentado, por ação ou omissão, aos seus direitos fundamentais".


E aí aparece a secretária irresponsavelmente jogando culpa para quem não tem e tentando minimizar um ato criminoso? 


O Conselho Tutelar de Barroquinha, o Ministério Público e os vereadores deveriam investigar profundamente a real situação do transporte escolar dos alunos. 


E os pais desta criança deveriam protocolar uma denúncia contra o município. E a secretária da educação deveria ter ficado calada ou ter pedido desculpas a população, ao invés de falar asneiras em rede mundial. 


Carlos Jardel