'Foi eu, a faca tá no carro': MP denuncia garçom por morte de vereador no CE e aponta motivo fútil - Revista Camocim

Clique na imagem e se inscreva no nosso canal


Clique na imagem e conheça nossos produtos e ofertas

Clique na imagem e conheça nossos produtos e ofertas


Clique na imagem e fale com a gente

Em Camocim, hospede-se nos hotéis Ilha Park e Ilha Praia Hotel. Clique na imagem e faça sua reserva




quinta-feira, 6 de junho de 2024

'Foi eu, a faca tá no carro': MP denuncia garçom por morte de vereador no CE e aponta motivo fútil


O Ministério Público do Ceará (MPCE) denunciou nessa quarta-feira (5) o garçom Antônio Charlan Rocha Souza pelo homicídio do vereador César Araújo Veras e tentativa de homicídio contra outros dois homens. De acordo com o MP, o crime foi praticado por motivo fútil e com recurso que impossibilitou a defesa das vítimas.


Por meio da 2ª Promotoria de Justiça de Camocim, o órgão pede que o garçom seja processado e julgado, "a fim de que, ao cabo da ação penal, sejam-lhe impostas as justas sanções legais". Agora, cabe a Justiça aceitar ou não a denúncia.


Quando policiais militares localizaram o carro onde Charlan estava, ele teria parado o automóvel e descido com as mãos levantadas, gritando: "foi eu, foi eu, a faca tá dentro do carro" (sic).


A defesa do acusado não foi localizada


A assistência de acusação, formada pelos advogados Leandro Vasques e Glaubeson Santos, que representam Ana Carolina Veras, viúva do vereador César Veras, afirma que "o oferecimento da denúncia descortina o início da marcha processual e inaugura a oportunidade dos familiares das vítimas postularem a habilitação para atuarem como assistentes da acusação que é o que faremos agora".


CRIMES ACONTECERAM EM CHURRASCARIA 


Por volta de 13h, o garçom trabalhava em uma churrascaria em Camocim e "motivado por descontentamentos com suas condições de trabalho e chateado por zombarias perpetradas por alguns colegas, decidiu apoderar-se de uma faca com lâmina de trinta e um centímetros usada pelo barman do restaurante para cortar frutas utilizadas na elaboração de coquetéis", diz trecho da denúncia do MPCE.


Em seguida, escondeu a faca e esperou que César Araújo mudasse para outra mesa junto aos demais familiares da vítima.


Quando o vereador se acomodou em outra cadeira, "Charlan, aproximou-se sorrateiramente de César Veras por trás e efetuou um corte no pescoço da aludida vítima, que resultou no rompimento da artéria carótida".


O acusado foi até a segunda vítima e também tentou cortar o pescoço dela. Charlan também teria tentado esfaquear o proprietário da churrascaria.


As outras duas vítimas foram transferidas a um hospital em Sobral e sobreviveram.


"O delatado deixou o estabelecimento, ingressou no seu veículo que estava estacionado logo em frente e empreendeu fuga. Ocorre que, quando passava nas imediações do Quartel da Polícia Militar, Charlan cruzou com uma viatura e recebeu ordem de parada emanada dos castrenses, mas decidiu ignorá-la e passou a imprimir alta velocidade no veículo no sentido da saída de Camocim", segundo a denúncia. Já na CE-085 ele se rendeu. 


Via Diário do Nordeste