Dia Internacional da Mulher: de que adianta “parabéns” se não nos dão iguais direitos? - Revista Camocim

Clique na imagem e conheça nossos produtos e ofertas

Clique na imagem e conheça nossos produtos e ofertas


Clique na imagem e fale com a gente

Em Camocim, hospede-se nos hotéis Ilha Park e Ilha Praia Hotel. Clique na imagem e faça sua reserva




sexta-feira, 8 de março de 2024

Dia Internacional da Mulher: de que adianta “parabéns” se não nos dão iguais direitos?


Por Vágila Frota, advogada.


Não basta dizer o quanto é difícil ser mulher, as graves estatísticas já expõem a dura realidade.


Meu Brasil, país machista, misógino, violento e, em muitas regiões, como o Nordeste: coronelista (às escuras).


Nós, mulheres, ainda ganhamos salário menor em iguais cargos que os homens, apesar da Lei de Igualdade Salarial (Lei n° 14.611/2023, Decreto n° 11.795/2023, Portaria MTE n° 3.714) e somos minoria dentre os gestores.


É justo?


Teremos eleições municipais em outubro… Mulheres: sejam inteligentes, sábias e cuidado com as possíveis fraudes às cotas de gênero. 


Não tem problema em ser racional, lutar por independência e não baixar a cabeça para o autoritarismo, isso não retira nossa feminilidade, nossa elegância e nosso encanto, ainda somos nós!


O desrespeito vem quando somos diferentes, e, apesar disso, devemos ser diferentes SEMPRE!


Nas condições atuais, não posso desejar “Feliz Dia Internacional da Mulher”, afinal de que adianta “parabéns” se não nos dão iguais direitos?


E também não queremos flores quando não existe respeito/apoio profissional, pessoal, psicológico, moral, patrimonial, político… (Você pode gostar de flores, mas lembre: Se ame acima de tudo e de todos! Flores somente são belas quando o respeito vem à frente).


Obviamente, gostaria de escrever um artigo de um mundo exemplar para Todas, mas eu não sou hipócrita e jamais fecharei os olhos para a verdade que nos cerca.


Também não posso olvidar as mulheres invisibilizadas, indígenas (yanomanis, xinguanas...), ambientalistas, animalistas, de Marajó, Palestina, Ucrânia, África e das favelas brasileiras, saibam: vocês são fortes, vocês vão vencer e VOCÊS PODEM TUDO!


Tolos vão dizer que é utopia, não escutem, são apenas idiotas ignorantes! 


“Eles passarão, Nós Passarinho”. 


Mulheres e Garotas: Todos os dias são nossos, sejam DONAS DE SI!


Obs.: 760 processos já foram autuados no TSE sobre cotas de gênero. (Dados: Retrospectiva TSE 28.12.2023)