Elmano: Ceará deve ter chuvas ainda em janeiro, mas próximos três meses preocupam - Revista Camocim

Clique na imagem e fale com a gente

Clique na imagem e conheça nossos produtos e ofertas

Clique na imagem e conheça nossos produtos e ofertas

Financiamento a partir de R$160 mil.Venha conversar com a gente. Clique na imagem.


Em Camocim, hospede-se nos hotéis Ilha Park e Ilha Praia Hotel. Clique na imagem e faça sua reserva




quinta-feira, 4 de janeiro de 2024

Elmano: Ceará deve ter chuvas ainda em janeiro, mas próximos três meses preocupam



O governador Elmano de Freitas (PT) garantiu em live nesta quarta-feira (3) que o Estado ainda deve ter chuvas neste mês de janeiro. “Talvez retome algumas chuvas lá para o dia 10 e dia 11”, disse. No entanto, ainda conforme o chefe do Executivo, nos meses de fevereiro, março e abril (início da quadra chuvosa, que se estende até maio), a previsão é de quantidade de chuvas abaixo da média histórica cearense. Ao OPINIÃO CE, a Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos afirmou que o prognóstico para os meses será divulgado “nos próximos dias“.

Segundo o petista, o plano do Estado contra a seca será entregue ao Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR) na próxima segunda-feira (8), em Brasília. Na última semana do ano, Elmano afirmou que se encontraria com o titular da pasta nacional, Waldez Góes (PDT), para discutir a questão da seca.

De acordo com Elmano, o Governo “não vai esperar a seca se confirmar”. “O quadro que se apresenta confirma que teremos o El Niño, que fará com que as chuvas sejam abaixo da média para 2024”, completou. “Vamos ter uma quantidade de chuva abaixo da média histórica do Estado, portanto temos que nos preparar, não vamos aguardar para que fique em situação de dificuldade para o nosso povo”, afirmou.

REUNIÃO

Ainda nesta quarta, no Palácio da Abolição, foi realizada uma reunião técnica para apresentar o Plano de Contingência para Impactos do El Niño. Participaram membros da Companhia de Água e Esgoto do Ceará (Cagece), SRH, Sohidra, Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme) e outras secretarias e vinculadas. Conforme Elmano, tais ações devem incluir iniciativas da Companhia de Água e Esgoto do Ceará (Cagece) para o fornecimento de água potável; projetos para pequenos agricultores; e ações específicas para cada Bacia Hídrica.

“Foi uma reunião muito importante para que possamos nos preparar para essa situação que se aproxima. Sabemos que 2024 terá poucas chuvas, então já peço que todos utilizem a água com sabedoria”, explicou. Ainda segundo o petista, não há previsão de até quando a seca poderá durar, o que dificulta o planejamento para as ações.

O documento foi apresentado inicialmente pelo presidente da Funceme, Eduardo Sávio, que pontuou o cenário climático e as ações já existentes para segurança hídrica, ações que estão em execução e ações que serão encaminhadas para ajudar no abastecimento dos municípios. “Existe um aquecimento no tropical norte e sul neste ano. Diante do cenário, foi preparado um plano detalhado de ações de acordo com a prioridade do abastecimento humano, visando às ações de todos os órgãos estaduais que possuam algum trabalho na área hídrica. Nós estamos nos antecipando ao quadro que se apresenta”, disse.

“No contexto atual de alocação de água, existe uma condição relativamente favorável para atender às demandas dos diversos usos. No entanto, em um cenário de seca prolongada, podem acontecer déficits no atendimento”, explicou o presidente da Funceme sobre o cenário da Região Metropolitana de Fortaleza.

O governador determinou aos gestores dos órgãos presentes que apresentem, com base nas informações do Plano, alguns dados que devem ajudar na execução das ações. “Vamos elaborar uma ordem de prioridade. Precisamos agir primeiro naqueles municípios que têm menos tempo de abastecimento garantido”, solicitou Elmano.

Opinião Ce.