Homem sobrevive em mata durante 50 dias à base de maracujá, jerimum e mel no Ceará - Revista Camocim


Clique na imagem e conheça nossos produtos e ofertas

Clique na imagem e conheça nossos produtos e ofertas


Clique na imagem e fale com a gente

Em Camocim, hospede-se nos hotéis Ilha Park e Ilha Praia Hotel. Clique na imagem e faça sua reserva




quinta-feira, 27 de julho de 2023

Homem sobrevive em mata durante 50 dias à base de maracujá, jerimum e mel no Ceará


Um homem foi encontrado na cidade de Independência, no Ceará, na última segunda-feira (24), 50 dias após desaparecer no distrito de Santa Cruz do Banabuiú. José Cristóvão Rodrigues da Costa, de 39 anos, teria sobrevivido ao se alimentar de animais, maracujá-do-mato, enxu de abelha e vegetais encontrados na mata.


Desaparecido desde a tarde do dia 5 de junho, José estava a caminho do município de Pedra Branca, onde encontraria familiares, após deixar a cidade de Leme, em São Paulo. Já no percurso, segundo aponta a irmã dele, Antoniclé Rodrigues, ele apresentou indicativos de problemas psicológicos. 


"Nós estávamos em contato com ele durante a viagem", explica ela, que revelou as conversas telefônicas mantidas com o agricultor no caminho. Conforme o relato dela, ele citou várias vezes uma espécie de perseguição, apontando que sentia que seria morto por alguém dentro do veículo.


Por conta disso, os familiares chegaram a falar com o motorista do ônibus, mas José conseguiu sair do percurso antes mesmo que a família chegasse a encontrá-lo. "Quando chegou em Santa Cruz de Banabuiú, um distrito da nossa cidade de Pedra Branca, ele desceu do ônibus fugindo em sentido ao mato", explicou a irmã em entrevista ao Diário do Nordeste. 


BUSCAS INTENSAS


As buscas, então, foram iniciadas. "Já no primeiro dia, acionamos todas as autoridades. Teve helicóptero, cães, bombeiros, Polícia Militar, Guarda Municipal de Pedra Branca... Tivemos ajuda da população, com 40 homens que conhecem a mata, todos ajudando na busca", disse Antoniclé. 


Foram 50 dias de angústia, conforme a irmã, com os envolvidos nas buscas percorrendo todos os distritos vizinhos. "Em momento algum desacreditamos que ele pudesse estar vivo. Procuramos em todas as áreas, não paramos nenhum dia, continuamos compartilhando, perguntando às pessoas".


Os pensamentos dos familiares, que acreditavam na sobrevivência de José, se apegavam ao fato de ele ser um agricultor experiente, trabalhando por anos no corte de cana em São Paulo, o que poderia ajudar no período desaparecido. Além disso, esperavam que as supostas ameaças de morte citadas por ele estivessem ligadas a problemas psicológicos, informação esclarecida quando o homem foi encontrado.


Antoniclé detalhou que o irmão sobreviveu consumindo maracujá-do-mato, jerimum e enxu de abelha


FRACO E DEBILITADO


Na segunda-feira (24), José foi encontrado no sítio Jardim, nas proximidades do município de Independência. O local fica vizinho a Pedra Branca, mas está a cerca de 30 quilômetros de onde ele havia desaparecido. Antoniclé conta que ele pediu ajuda a um trabalhador da roça, já muito fraco e debilitado.


Com o documento que portava, José pediu auxílio para o contato com familiares, e um vídeo foi publicado nas redes sociais, o que resultou no reencontro. Fraco, José Rodrigues não conseguia falar direito, mas foi encaminhado a uma unidade hospitalar para receber os devidos cuidados.


"Neste momento, ele está sendo devidamente medicado. Está internado no hospital e será encaminhado para passar pela consulta com um psiquiatra e um psicólogo", adiantou a irmã. 


Diário do Nordeste