Prepotência da prefeita Betinha prejudica contratados e o serviço público; TJCE mantém anulação de temporários - Revista Camocim

Clique na imagem e se inscreva no nosso canal


Clique na imagem e conheça nossos produtos e ofertas

Clique na imagem e conheça nossos produtos e ofertas


Clique na imagem e fale com a gente

Em Camocim, hospede-se nos hotéis Ilha Park e Ilha Praia Hotel. Clique na imagem e faça sua reserva




segunda-feira, 5 de junho de 2023

Prepotência da prefeita Betinha prejudica contratados e o serviço público; TJCE mantém anulação de temporários




A Desembargadora Lisete de Sousa Gadelha, do Tribunal de Justiça do Estado do Ceará, negou o pedido feito pela prefeitura de Camocim para suspender a decisão liminar do Juiz da 2.ª Vara da Comarca de Camocim, Francisco de Paulo Queiroz Bernardino Júnior, que obrigou o município a cancelar as seleções públicas ilegais para contratação de servidores temporários. 


A prefeita Elisabete Magalhães insiste em não publicar edital de concurso público para gerar oportunidades para a população. Além disso, não buscou diálogo com o Ministério Público e promoveu, propositadamente, incorretas seleções, sem provas específicas, o que resultou na demissão dos temporários. 


O dialogo com o MP e a promoção correta da seleção teria evitado as demissões. Porém, a prefeita resolveu promover a inconstitucionalidade e medir forças com o poder Judiciário e o Ministério Público do Estado do Ceará.


Carlos Jardel