Dose de reforço da vacina bivalente é ampliada para população acima de 18 anos - Revista Camocim

Se inscreva nosso canal no YouTube


Clique na imagem e conheça nossos produtos e ofertas

Clique na imagem e conheça nossos produtos e ofertas


Clique na imagem e fale com a gente

Em Camocim, hospede-se nos hotéis Ilha Park e Ilha Praia Hotel. Clique na imagem e faça sua reserva




terça-feira, 25 de abril de 2023

Dose de reforço da vacina bivalente é ampliada para população acima de 18 anos


O Ministério da Saúde ampliou a vacinação da dose da vacina bivalente contra a Covid-19 para toda a população acima de 18 anos. A medida foi anunciada nesta segunda-feira (24).


Cerca de 97 milhões de brasileiros podem procurar as unidades de saúde para reforçar a proteção contra a doença, segundo o ministério. 


A dose de reforço deve ser aplicada em que já recebeu, pelo menos, duas doses de vacinas monovalentes (Coronavac, Astrazeneca ou Pfizer). 


A última dose deve ter sido administrada há pelo menos quatro meses. Quem ainda não completou o ciclo vacinal e tem alguma das doses de reforço em atraso também pode receber a vacina bivalente.


Ethel Maciel, Secretaria de Vigilância em Saúde e Ambiente (SVSA) do Ministério da Saúde, afirmou que o aumento das coberturas vacinais contra a Covid-19 é prioridade para a pasta. 


"A vacinação é fundamental para minimizar a carga e prevenir o surgimento de complicações decorrentes da doença”, disse.


IMUNIZAÇÃO COM VACINA BIVALENTE


Até a última quinta-feira (20), mais de 10 milhões de pessoas já foram imunizadas com a vacina bivalente. Do total, 8,1 milhões das doses foram destinadas a idosos com 60 anos ou mais.


A vacinação foi iniciada em 27 de fevereiro, segundo calendário do Ministério da Saúde. A imunização começou pelo público prioritário de pessoas com mais de 60 anos, gestantes e puérperas, povos indígenas, pessoas com deficiência e outros grupos.


Em abril, a imunização foi ampliada para pessoas com comorbidades entre 12 e 59 anos. 


A Pfizer, responsável por uma das vacinas contra Covid-19 já aplicadas no país, desenvolveu os imunizantes, que protegem contra o coronavírus original e as cepas BA.4 e BA.5. As vacinas foram aprovadas pela Anvisa em novembro de 2022.


Diário do Nordeste