Anvisa aprova uso de duas vacinas bivalentes contra a Covid-19 - Revista Camocim

Postagem em destaque

Comunicado do Colégio Future: confirme sua matrícula até o dia 13 de dezembro.

Diante da grande demanda, aqueles que não confirmarem a matrícula poderão perder a vaga reservada. CONFIRMAÇÃO DE MATRÍCULA 2023 Pedimos a t...

Super promoção "Matrícula Premiada" do Colégio Future.

Super promoção "Matrícula Premiada" do Colégio Future.

Colégio Future com matrículas abertas para 2023

Colégio Future com matrículas abertas para 2023

Clique na imagem e conheça os cursos preparatórios e apoio educacional


Clique na imagem e conheça os produtos







quarta-feira, 23 de novembro de 2022

Anvisa aprova uso de duas vacinas bivalentes contra a Covid-19



A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou o uso emergencial de duas vacinas bivalentes contra a Covid-19, nesta terça-feira (22). Os imunizantes protegem contra as subvariantes da Ômicron. 


O imunizante bivalente BA1 protege contra a cepa original do coronavírus e contra a variante Ômicron BA1. Já o bivalente BA4/BA5, oferece imunidade à variante original e também à variante Ômicron BA4/BA5.  


As vacinas foram desenvolvidas pela Pfizer, empresa responsável por uma das vacinas contra a Covid já aplicadas no país. A aprovação permite uso das bivalentes como dose de reforço na população a partir de 12 anos.


Segundo Meiruze Freitas, diretora da Anvisa, o reforço com a vacina bivalente deve melhorar a proteção da população contra a variante Ômicron. Ela ressaltou, no entanto, que não se deve atrasar a dose de reforço já prevista para esperar as vacinas bivalentes.


"Todas as vacinas de reforço aprovadas ajudam a melhorar a proteção contra casos graves e morte por Covid-19”, afirmou.


O Ceará e outros 11 estados registraram alta de dados de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) provocados pelo coronavírus. 


NOVAS VACINAS


O Ministério da Saúde ainda não se pronunciou sobre a compra e a distribuição das vacinas bivalentes aprovadas. Segundo a Pfizer, os imunizantes podem ser aplicados a partir de três meses do reforço anterior. 


As vacinas podem ser armazenadas em geladeiras, entre 2°C e 8°C, por período único de até dez semanas. A Pfizer entrou com o pedido de uso emergencial da bivalente BA1 em agosto. Já para a bivalente BA4/BA5, a solicitação foi feita em setembro.


A Anvisa aprovou o uso emergencial dos dois imunizantes em reunião da Diretoria Colegiada, após o cumprimento das exigências pela empresa. 


A agência ressalta que as vacinas monovalentes (desenvolvidas para a variante original do coronavírus), mantêm a efetividade, desde que aplicadas conforme a recomendação do Ministério da Saúde. 


Para a análise das vacinas bivalentes, a Anvisa contou com especialistas das sociedades brasileiras de pediatria, infectologia, imunização e Pneumologia e Tisiologia.


Diário do Nordeste