Granchitão se agiganta ao nivel dos renomados eventos do Ceará - Revista Camocim

Clique na imagem e conheça os cursos preparatórios e apoio educacional


Clique na imagem e conheça os produtos




Barraca Mergulhe: Contato/WhatsApp: (88) 9 9260 4733

Barraca Mergulhe: Contato/WhatsApp: (88) 9 9260 4733





segunda-feira, 25 de julho de 2022

Granchitão se agiganta ao nivel dos renomados eventos do Ceará



O Granchitão voltou com força total. Sua oitava edição,  realizada no último final de semana, já é considerada pela opinião pública a melhor de todas,  resultado do pleno e eficiente funcionamento de toda a estrutura projetada pela prefeitura de Granja, que elevou a festa ao mais alto patamar de qualidade, alcançado pelos gigantes promotores de eventos de nível nacional. 


Segurança 


Foi três dias de excelência no serviço de segurança: não registrou-se ocorrências de violência capaz de ofuscar o brilho da festa e comprometer a integridade dos brincantes, de modo que é correto afirmar que o Granchitão é um evento gigante, caracterizado pela animação e tranquilidade, sendo um espaço para jovens, adultos e idosos e crianças na companhia de suas famílias. 


São raros os eventos no Ceará, organizados no âmbito do poder público municipal, com a mesma  qualidade do Granchitão. Na Zona Norte do Ceará não existe um com essa magnitude.  


Camocim, por exemplo, cidade tradicional na realização de eventos festivos no Ceará, com maior potencial e vocação turística, não chega aos pés do que Granja se tornou.  A cidade que detém o maior litoral do Ceará desenvolve seus projetos turísticos de forma extremamente amadora e com dificuldades em resguardar a segurança do público. 


Economia 


O Granchitão também se consolida como o forte injetor da economia local e regional, alcançando os vários setores do comércio formal e informal, sendo Camocim a cidade da região mais beneficiada no turismo: esgotada hospedagem em Granja, os visitantes partem para ocupar a rede hoteleira da cidade litorânea, visitar praias, lagos e consumir nas barracas e restaurantes durante o dia. 


Carlos Jardel