'Quase entrei em depressão': golpe do empréstimo consignado atinge idosos no Ceará - Revista Camocim



Clique na imagem e conheça os produtos




Barraca Mergulhe: Contato/WhatsApp: (88) 9 9260 4733

Barraca Mergulhe: Contato/WhatsApp: (88) 9 9260 4733





terça-feira, 7 de junho de 2022

'Quase entrei em depressão': golpe do empréstimo consignado atinge idosos no Ceará



"Quando eu descobri que tinham feito um empréstimo no meu nome, fiquei desesperada, chorei muito e quase entrei em depressão", essa é a forma como Maria Nenê Duarte, de 86 anos, conta sobre o fatídico dia em que descobriu que caiu no golpe do empréstimo consignado não solicitado, após se dar conta de que não conseguia mais pagar as despesas com o desconto em folha.


O esquema funciona da seguinte forma: a instituição financeira realiza o pagamento de um valor extra na conta do idoso, que faz saques sem perceber a presença do dinheiro a mais. Depois, começam a ser debitadas as quantias, com juros, do valor emprestado sem o consentimento da vítima.


Dona Nenê recebeu o valor de R$ 3 mil e chegou a passar mais de um ano pagando as parcelas do empréstimo até estranhar que o dinheiro que recebia estava insuficiente para as despesas. 


Paguei as parcelas do empréstimo por mais de um ano. Fiquei sem dinheiro para comprar os medicamentos que preciso. Certo dia, dei meu cartão para uma amiga ver o que estava acontecendo e lá constou o empréstimo de R$ 3 mil"

MARIA NENÊ DUARTE

Aposentada de 86 anos


O caso de dona Nenê não é isolado. Segundo um levantamento da Federação Brasileira de Bancos (Febraban) houve um aumento de 60% em tentativas de golpes financeiros contra idosos durante a pandemia.


Para a advogada e secretária geral da Associação Cearense de Defesa do Consumidor (Acedecon), Patricia Acioly, as consequências desses golpes podem mexer muito com a saúde mental desses idosos.


"Por exemplo, se a gente pensa em um idoso lá do Interior, um aposentado rural. Geralmente, esses senhorzinhos são muito corretos, né? Elas não tiveram seus nomes registrados em cadastros de inadimplência. Então, isso frustra muito quando ele se vê numa situação de superendividamento. Inclusive, esses casos com pessoas mais idosas podem levar, muitas vezes, até a suicídios", destaca.


COMO FUNCIONA O GOLPE

Segundo Patricia Acioly, essa modalidade de golpe, na qual o valor entra na conta do beneficiário, é aplicada há cerca de três anos. Mas se o dinheiro entra na conta do aposentado e é sacado por ele, o que as instituições que agem de má-fé ganham?


"Ganha na questão dos comissionamentos, explica a advogada. "Se antes ele atingia vários idosos tirando todo o empréstimo para ele, ele agora entendeu que uma forma de camuflar isso", acrescenta. Assim, como no caso de dona Nenê, muitas vítimas só se dão conta quando o dinheiro recebido no mês não é mais suficiente para se manter, já que há o desconto do consignado.


Além disso, muitos aposentados, mesmo após perceberem o valor recebido indevidamente, ficam com o dinheiro.  "Eles vão com essa de colar, colou. E muitas vezes cola. Então eles vão ganhando em cima desses comissionamentos", destaca.


"Essa é a mais nova modalidade de golpe de empréstimo consignado contra os idosos", resume.


AUMENTO NO NÚMERO DE GOLPES DO EMPRÉSTIMO CONSIGNADO


Uma pesquisa realizada pelo Procon, a pedido da Comissão Municipal de Defesa do Consumidor, mostra o idoso como a vítima principal para empréstimos fraudulentos. 


O órgão fiscalizador repassou que há uma procura constante de idosos vítimas de empréstimos consignados e afirma que, nos últimos três anos, houve um aumento das reclamações contra bancos. Leia a matéria completa AQUI


Diário do Nordeste