Presidente do Sindicado Apeoc de Barroquinha assina atestado de guarda-costa politico do prefeito Jaime Veras - Revista Camocim



Clique na imagem e conheça os produtos




Barraca Mergulhe: Contato/WhatsApp: (88) 9 9260 4733

Barraca Mergulhe: Contato/WhatsApp: (88) 9 9260 4733





quinta-feira, 9 de junho de 2022

Presidente do Sindicado Apeoc de Barroquinha assina atestado de guarda-costa politico do prefeito Jaime Veras




É vergonhoso o serviço de guarda-costa politico prestado pelo presidente da comissão do Sindicato Apeoc de Barroquinha, professor Antônio Francisco, em favor do prefeito Jaime Veras. Ele, apesar de apresentar todas as ferramentas, não gosta de ser chamado "babão". Mas sempre que possível, quando surge um polêmica envolvendo ações desastrosas do governo, corre para as redes sociais comentar em defesa da administração. Recentemente ele caprichou no dicionário para confeccionar um "textão" [AQUI] detonando o grupo de oposição e a página 'Barroquinha Real' que faz oposição à gestão, denunciando e criticando erros e más posturas de agentes públicos. 


Irritado, por ser classificado por um internauta como puxa-saco, durante debate na postagem do Vereador "Dr. Rony do Esparadrapo" [AQUI],  o presidente da Comissão Municipal do Sindicato Apeoc, disse, sem citar nomes, mas, referindo-se ao ex-prefeito Ademar, que as críticas da página seriam para "agradar e amaciar  o ego" do chefe [da oposição].  


Arrotando a falsa moral, o professor ainda insinuou que as críticas ao mandato de Jaime seriam dos revoltados que "não tem mais os carguinhos [da prefeitura] dos quais sobreviviam". 


É sério isso, professor?  Vamos então pontuar, inciando pelas postagens que "massageiam o ego do líder politico":


— A postagem abaixo  massageia o ego de quem, presidente da Apeoc de Barroquinha?  Onde está a riqueza intelectual da postagem? Seria isso o modelo que expressa a sua "capacidade de refletir"? 
 


E o professor ainda tem coragem de falar de quem "se nutre com o esterco que sai da boca de adversários." 


— Agora, falando de "carguinhos", seria muito bom que o presidente da Apeoc não tivesse exemplos familiares que o elevassem ao patamar dos hipócritas. Veja bem: ele tem um irmão que ocupa um "carguinho" comissionado em uma escola da comunidade Lagoa do Mato. Outra saiu de sala de aula para também assumir um "carguinho" na gestão da secretaria da educação.  E ainda reza a lenda que existe um imóvel familiar "mamando nas tetas da prefeitura".  


O professor Antônio Francisco deveria deixar de ser hipócrita e demagogo, pedir um serviço comissionado ao prefeito Jaime Veras e renunciar o cargo de  presidente da comissão sindical da Apeoc — a qual costuma manipular em prol da politicagem — e assumir a carreira de militante político de situação. Isso, sem dúvidas, seria mais bonito para as calças que ele veste.  


Carlos Jardel