Mulher que matou marido com a ajuda da vizinha em MG disse que era chamada de 'gorda e velha'; entenda como o crime aconteceu - Revista Camocim

Super promoção "Matrícula Premiada" do Colégio Future.

Super promoção "Matrícula Premiada" do Colégio Future.

26 de novembro: Show do Hungria em Camocim no Ilha Park

Colégio Future com matrículas abertas para 2023

Colégio Future com matrículas abertas para 2023

Clique na imagem e conheça os cursos preparatórios e apoio educacional


Clique na imagem e conheça os produtos







terça-feira, 28 de junho de 2022

Mulher que matou marido com a ajuda da vizinha em MG disse que era chamada de 'gorda e velha'; entenda como o crime aconteceu



A mulher que matou o marido com a ajuda da vizinha em Itajubá (MG) disse para a polícia que era constantemente chamada de "gorda e velha" por ele. Ela e a vizinha estão em liberdade, já que não houve flagrante.


O servidor público Sérgio Carvalho Silva, de 51 anos, foi morto asfixiado no sábado (25) pela própria esposa no bairro Santo Antônio. Para conseguir matar o marido, a mulher teria pedido para que ele, que também era segurança, a ensinasse técnicas de imobilização.


Segundo a polícia, o marido teria aceitado ser amarrado pela esposa e então ela aproveitou a oportunidade para asfixiá-o com panos e depois, com um pedaço de pão.


Como o crime aconteceu


Conforme o boletim de ocorrência, a esposa disse à Polícia Militar que após fazer comida, mentiu para o esposo que iria trabalhar como segurança em Pouso Alegre e, como o marido era segurança, pediu para que ele desse dicas de como imobilizar uma pessoa.


Em seguida, ainda segundo o BO, ela pediu também para que ele deixasse que ela o amarrasse, para que ela testasse a habilidade para caso fosse necessário.


Conforme contou à Polícia Militar, o marido concordou e ela o amarrou com dois cadarços, envolvendo as mãos dele para trás, além de também amarrar os pés dele.


A mulher disse que tampou a boca e o nariz do marido com uma blusa de criança para sufocá-lo. Segundo contou à polícia, ela só parou de sufocar o marido quando ele desmaiou.


Ajuda da vizinha


A mulher contou ainda à polícia que chamou uma vizinha, para quem já tinha contado o que faria com o marido. Quando chegou, a vizinha percebeu que o marido da mulher ainda estava vivo.


Nesse momento, a esposa disse que foi até a cozinha e pegou um pedaço de pão, enfiando na garganta do marido, com a intenção de simular um engasgamento.


A vizinha ligou para o Corpo de Bombeiros, solicitando socorro para um caso de engasgamento. Segundo o BO, a esposa disse que os bombeiros teriam demorado para chegar ao local e, quando chegaram, tentaram reanimar o marido por algum tempo, levando ele para o hospital posteriormente.


Motivação


Perguntada pela Polícia Militar, a esposa disse, de acordo com o boletim de ocorrência, que havia planejado a ação, assim como havia alertado a vizinha do que pretendia fazer.


Já a vizinha falou, de acordo com o BO, que sabia da intenção da esposa e que ajudou a tentar simular o engasgamento.


Questionada sobre o que teria motivado o crime, a esposa disse à polícia não saber explicar, afirmando que não sofria de violência física do marido, com quem era casada há 20 anos. Ela contou ainda, segundo o BO, que enquanto sufocava o esposo, lembrava que ele a chamava de “gorda e velha”.


Ela também disse no boletim de ocorrência que resolveu contar a verdade sobre o que ocorreu, pois estava com a consciência pesada.


G1