Homem mata desafeto com golpes de enxada após ser chamado de 'mole' no Interior do Ceará - Revista Camocim



Clique na imagem e conheça os produtos




Barraca Mergulhe: Contato/WhatsApp: (88) 9 9260 4733

Barraca Mergulhe: Contato/WhatsApp: (88) 9 9260 4733





segunda-feira, 13 de junho de 2022

Homem mata desafeto com golpes de enxada após ser chamado de 'mole' no Interior do Ceará

Um homem foi preso em flagrante por matar um desafeto com golpes de enxada, em Quixadá, na Região do Sertão Central, no último domingo (12). O suspeito confessou que cometeu o crime após ser chamado de "mole" e de "covarde", por "não ter coragem de vingar o tio".


Rubens Ferreira Herculano, o 'Rubinho', de 20 anos, afirmou à Polícia Civil do Ceará (PC-CE) que ingeria bebida alcoólica desde cedo, na casa de familiares, quando chegou ao local um homem conhecido como 'Boel' - apelido de Manoel Pedro Barbosa Filho, 37.


Segundo 'Rubinho', 'Boel' também ingeriu bebida alcoólica e começou a insultá-lo, ao dizer que o seu tio, que foi assassinado, "era um vagabundo e que não prestava, inclusive ficava com mulher casada, por isso mereceu morrer".


O suspeito decidiu deixar a residência e ir para um bar, no bairro Alto da Boa Vista. Mas o desafeto também se deslocou para o estabelecimento e continuou a xingar o tio de 'Rubinho', segundo ele. Testemunhas contaram à Polícia que 'Boel' ainda disse que o sobrinho da vítima de homicídio era "covarde" e "mole" por não vingá-lo.


O jovem de 20 anos, então, decidiu atrair 'Boel' para sair do bar, pegou uma enxada e desferiu ao menos três golpes na cabeça do homem. Após o ataque fugiu do local.


Já 'Boel' foi socorrido pelo proprietário e por clientes do bar e levado a um hospital, mas não resistiu aos ferimentos. O suspeito acabou preso em flagrante, dentro de casa, poucos minutos depois.


Levado à Delegacia Municipal de Banabuiú, Rubens Ferreira Herculano foi autuado em flagrante por homicídio qualificado (motivo fútil e impossibilidade de defesa da vítima). A PC-CE já pediu à Justiça Estadual pela conversão da prisão em flagrante em prisão preventiva, para garantir a ordem pública, a aplicação da lei penal e a conveniência da instrução criminal.


Diário do Nordeste