Ex-assessor de Gabriel Monteiro morreu dois dias antes de protocolar pedido de segurança - Revista Camocim

Super promoção "Matrícula Premiada" do Colégio Future.

Super promoção "Matrícula Premiada" do Colégio Future.

Colégio Future com matrículas abertas para 2023

Colégio Future com matrículas abertas para 2023

Clique na imagem e conheça os cursos preparatórios e apoio educacional


Clique na imagem e conheça os produtos







segunda-feira, 30 de maio de 2022

Ex-assessor de Gabriel Monteiro morreu dois dias antes de protocolar pedido de segurança



O ex-assessor do vereador Gabriel Monteiro (PL), Vinícius Hayden Witeze, de 33 anos, pretendia protocolar um pedido de segurança à Câmara dos Vereadores do Rio de Janeiro nesta segunda-feira (30). Ele fez uma série de denúncias contra o político e morreu em uma colisão de trânsito na rodovia estadual RJ-130, Teresópolis, no último sábado (28). 


A solicitação foi comunicada à presidente da Comissão de Direitos Humanos da Câmara, a vereadora Teresa Bergher, dois dias após o homem prestar depoimento contra o parlamentar Conselho de Ética da Câmara. Na ocasião, confirmou parte das denúncias de prática de assédio moral e sexual, além de revelar estar sendo ameaçado de morte. As informações são do portal G1.


“O procurador da Câmara, José Minc, me disse que seria necessário um ofício das testemunhas pedindo a segurança. Na sexta-feira (27), o Vinícius ligou para o meu gabinete, pedindo segurança. Foi orientado a fazer um ofício com este pedido. Ele ficou de entregar o documento na segunda-feira, mas, infelizmente, não teve tempo. É tudo muito triste, muito chocante e estranho. Vamos aguardar a perícia no carro”, relatou Teresa Bergher.


O pedido também deveria se estender a Heitor Neto, que também prestou depoimento ao Conselho de Ética. 


ACIDENTE E MORTE

Segundo informações da Polícia local, o carro de Hayden capotou e ele morreu na hora. Uma mulher que também estava no veículo, ainda não identificada, foi transferida para um hospital local. No interior do automóvel do ex-assessor, a corporação declarou ter encontrado cópias do termo da declaração dada por ele na denúncia contra vereador do Gabriel Monteiro.


O jornal O Globo publicou que as informações preliminares dão conta de que o motorista perdeu a direção do veículo ao fazer uma curva. 


Nas redes sociais, o parlamentar lamentou a morte do ex-assessor, mas disse que Hayden forjou acusações contra ele.



ASSÉDIO SEXUAL E MORAL

Em depoimento à Câmara Municipal do Rio, na última quarta-feira (25), Hayden afirmou haver uma orientação no gabinete de Gabriel para investigar parlamentares e produzir conteúdos que os constrangessem. Na ocasião, ele ainda declarou estar sofrendo ameaças constantes. Em um vídeo, divulgado no mesmo dia, ele detalhou as ofensivas. 


"Perdi a minha liberdade. Tenho que andar de carro blindado, colete à prova de balas. Tenho que cercear o meu direito de ir e vir, de sair a hora que eu quero porque o vereador gravou vídeos expondo o meu número pessoal, me colocando como se fosse uma pessoa que tivesse negociado com uma pseudo máfia do reboque, que ele vive falando que é tudo a máfia do reboque dele", disse na gravação.


Além dessa acusação, pairam sobre o parlamentar outras de estupro e assédio sexual. Inclusive, o ex-assessor já havia dito à Polícia Civil que o vereador sabia que a menina que aparece em um vídeo fazendo sexo com ele era menor de idade.


Diário do Nordeste