Em nota, hospital de Granja afirma ter atendido a gestante em trabalho de parto e abriu sindicância para apurar possíveis condutas de negligência - Revista Camocim



Clique na imagem e conheça os produtos






Para mais mais informações, clique na imagem





terça-feira, 12 de abril de 2022

Em nota, hospital de Granja afirma ter atendido a gestante em trabalho de parto e abriu sindicância para apurar possíveis condutas de negligência



NOTA À IMPRENSA. 


O Hospital e Maternidade Dr. Vicente Arruda vem a público esclarecer a respeito de fato divulgado de que uma gestante teria dado à luz na entrada da recepção do hospital.  


Inicialmente cabe informar, que a gestante, de nome Márcia Pereira Vieira, é natural da cidade de Granja, tem 28 anos, porém é residente do município de Camocim, conforme atesta o seu cartão de pré-natal, que também deixa claro que das sete consultas mínimas obrigatórias do protocolo nacional vigente, a gestante fez apenas uma, no município onde reside, em Camocim, por busca ativa em domicílio. 


Nesse sentido, resta claro que a gestação da parturiente nunca havia sido acompanhada pelo sistema de atenção básica do município de Granja. 


A paciente veio para o município de Granja, tão somente ao final da gestação para dar à luz, onde reside em seu genitor. A paciente deu entrada no hospital às 09:45h do dia 08/04/2022, com queixas de ter tido Sangramento Transvaginal moderado, em domicílio, porém, sem queixas de dor. A parturiente foi avaliada durante, aproximadamente, dez horas contínuas, o que gerou um plano de parto, levando em conta sinais vitais, histórico de gestação geral e atual, idade gestacional, bem como a necessidade ou não de uma cesariana de EMERGÊNCIA. 


Foi constatado pelo enfermeiro obstetra de plantão a ausência de sinais de trabalho de parto. A paciente apresentava colo fechado, batimentos cardíacos do feto dentro da normalidade, ausência de sangramento transvaginal, de dores e de contrações.  


Nesse sentido, foi a paciente liberada com a orientação de que retornasse quando apresentasse sinais de trabalho de parto. A parturiente e a acompanhante permaneceram na entrada da recepção do hospital, aguardando um carro que as levariam (vide imagem do vídeo) e antes que o carro chegasse a paciente entrou de forma repentina em trabalho de parto. Imediatamente, foi o enfermeiro obstetra prestar os atendimentos necessários, solicitando que a parturiente retornasse para as dependências internas do prédio. Exaltada, a parturiente recusou o atendimento, limitando-se a sentar na cadeira de rodas que foi levada para traze-la de volta às dependências. Naquele momento, de imediato, entrou em trabalho de parto ali mesmo, e uma funcionária do hospital, junto com outros servidores, prestaram os primeiros atendimentos, levando-a em seguida, de volta para o interior da maternidade. 


Cumpre registrar, que o município de Granja é referência em partos na sua maternidade, totalizando nos três primeiros meses de 2022 mais de 160 partos, sem nenhum tipo de intercorrência. 


O Hospital Maternidade Dr. Vicente Arruda informa que independente dos fatos aqui relatados foi aberta sindicância interna para apurar todas as circunstâncias envolvidas no episódio. E que caso haja a comprovação de condutas negligentes, todas as medidas legais cabíveis serão tomadas.