Suspeito de atirar em vice-prefeito de Atibaia fez live após crime: 'ele me esfaqueou' - Revista Camocim



Clique na imagem e conheça os produtos




Barraca Mergulhe: Contato/WhatsApp: (88) 9 9260 4733

Barraca Mergulhe: Contato/WhatsApp: (88) 9 9260 4733





segunda-feira, 14 de março de 2022

Suspeito de atirar em vice-prefeito de Atibaia fez live após crime: 'ele me esfaqueou'



Após supostamente balear o vice-prefeito de Atibaia, Fabiano Batista de Lima (PL), nesse domingo (13), o comerciante Júnior Humberto de Oliveira realizou uma transmissão ao vivo nas redes sociais. Na ocasião, ele relatou ter realizado os disparos contra o político em "legítima defesa". As informações são do G1. 


Efetuei alguns disparos em legítima defesa. Ele veio para cima de mim, não teve o que fazer. Não sei o que vai acontecer, se vou ser preso. Tentou vir aqui me matar. Não sei se ele está ferido", declarou no vídeo.


Júnior Humberto ainda disse ter sido ferido pelo vice-prefeito que, segundo o comerciante, estava armado com uma faca.   


"Acabei de chamar a polícia aqui. Ele me esfaqueou no braço, tentei segurar a faca, só que vi que ele estava com muita fúria, tentou me matar na garagem”, relatou. 


Segundo a Polícia, no último ano, o empresário foi citado em pelo menos dez boletins de ocorrência por diversas vítimas por crimes como injúria, calúnia, difamação e ameaça. Além disso, ele já responde por três processos de indenização por danos morais devido a publicações na rede social.


O empresário foi preso em flagrante, ainda no domingo, suspeito de cometer uma tentativa de homicídio contra Fabiano Batista. 


DESENTENDIMENTO E DISPAROS


Uma câmera de segurança flagrou o momento em que o político chegou na residência do empreendedor, localizada no bairro Jardim Imperial. Após trocarem socos, o comerciante pegou uma arma e efetuou diversos disparos contra o gestor, que foi atingido na perna, mas conseguiu fugir.


O vice-prefeito e a esposa abriram recentemente um restaurante. Em seguida, o estabelecimento começou a ser alvo de vídeos do empresário, em que alegava que o político estava envolvido em uma suposta fraude. 


A gravação foi publicada nas redes sociais, onde os dois começaram a discutir. Em um aplicativo de troca de mensagem, Fabiano Batista disse que iria à casa de Júnior, que o esperou no portão. 


Após os disparos, o vice-prefeito foi socorrido e o comerciante acionou a Polícia Militar. Na delegacia, o caso foi registrado como tentativa de homicídio e o empresário foi preso em flagrante. A arma de fogo usado no episódio estava regularizada, mas foi apreendida para ser submetida a perícia. 


Nas redes sociais, o vice-prefeito disse que passa bem e admitiu as agressões. Ele permanecia internado no hospital Albert Sabin até a madrugada desta segunda-feira (14), conforme publicação.  


"Todos sabem que temos sofrido ataques contínuos nas redes sociais promovidos por esta pessoa, que não respeita nem a honra dos nossos familiares. Emocionalmente abalado com os ataques gratuitos disparados contra a minha esposa, fui realmente tirar satisfação com ele", escreveu.


INTENÇÃO DE 'ASSUSTAR' VÍTIMA


A defesa do empresário alegou que o caso se trata de legítima defesa, pois ele foi agredido pelas costas e não se negou a colaborar com a Polícia. 


“Ele fez o disparo com a intenção de assustar o vice-prefeito, parar as agressões e em sua proteção e da família. Não houve disparo com a intenção de matar. Inclusive, ele quem acionou a Polícia, entregou a arma e as imagens”, disse o advogado Danilo Gerage ao G1.


Conforme o boletim de ocorrência (B.O.), que o portal teve acesso, a corporação alega que o comerciante fez vários disparos, até acabar as munições. Ele ainda alegou que pegou a arma no porta-luvas do carro após os golpes, surpreendido com a agressividade do vice-prefeito, mas a Polícia aponta que o lapso entre os golpes e os disparos não permitiriam a movimentação, levantando a suspeita de que já estivesse armado com a intenção de atirar.


Diário do Nordeste