Daniel Silveira admite usar tornozeleira após Moraes determinar o bloqueio de contas bancárias - Revista Camocim

Postagem em destaque

Comunicado do Colégio Future: confirme sua matrícula até o dia 13 de dezembro.

Diante da grande demanda, aqueles que não confirmarem a matrícula poderão perder a vaga reservada. CONFIRMAÇÃO DE MATRÍCULA 2023 Pedimos a t...

Super promoção "Matrícula Premiada" do Colégio Future.

Super promoção "Matrícula Premiada" do Colégio Future.

Colégio Future com matrículas abertas para 2023

Colégio Future com matrículas abertas para 2023

Clique na imagem e conheça os cursos preparatórios e apoio educacional


Clique na imagem e conheça os produtos







quinta-feira, 31 de março de 2022

Daniel Silveira admite usar tornozeleira após Moraes determinar o bloqueio de contas bancárias



O deputado Daniel Silveira disse, nesta quarta-feira (30), que irá colocar tornozeleira eletrônica após a determinação do ministro do Supremo Tribunal Federal, Alexandre de Moraes, que bloqueia as contas bancárias do parlamentar.


A ação de Moraes visa garantir o pagamento de uma multa diária de R$ 15 mil caso o deputado continue se recusando a ser monitorado por tornozeleira eletrônica.


Moraes ainda estipula que o presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), escolha dia, hora e local para que a tornozeleira seja instalada em Silveira. "Não vou aceitar. Vou colocar por imposição de sequestro de bens", disse o deputado nesta quarta-feira (30), de acordo com informações do portal g1.


DEPUTADO HAVIA SE RECUSADO A USAR TORNOZELEIRA


Silveira é réu no Supremo por ameaças a instituições e incentivo a atos antidemocráticos. A ordem de uso da tornozeleira foi dada na última terça-feira (29) sob a alegação de que o deputado voltou a desrespeitar decisão judicial ao proferir novos ataques públicos ao STF e a instituições.


Após a ordem, Silveira afirmou no plenário que não aceitaria a decisão do ministro e passou a noite no gabinete. O parlamentar argumentou que a polícia não pode agir contra deputados dentro do Congresso Nacional.


Entretanto, Moraes autorizou, caso necessário, que a Polícia Federal e a Vara de Execuções Penais do Distrito Federal cumpram a decisão dentro da Câmara dos Deputados.


Diário do Nordeste