Janaína Dutra, a primeira travesti advogada do país, ganhou uma homenagem do Google em referência ao seu 61º aniversário. - Revista Camocim

Clique na imagem e conheça os cursos preparatórios e apoio educacional


Clique na imagem e conheça os produtos








quarta-feira, 1 de dezembro de 2021

Janaína Dutra, a primeira travesti advogada do país, ganhou uma homenagem do Google em referência ao seu 61º aniversário.

A ativista Janaína Dutra foi a  homenageada pelo Google no Doodle na terça-feira (30). A ilustração celebrou o 61º aniversário da militante



Nascida no município de Canindé, interior do Ceará, em 30 de novembro de 1960, Janaína desde jovem já lutava em defesa da comunidade LGBTQIA+. Graduou-se em Direito em 1986 pela Universidade de Fortaleza (Unifor), curso que escolheu motivada pelo preconceito que vivia diariamente. Aprovada no Exame da Ordem logo depois da graduação, tornou-se a primeira travesti a obter a carteira da OAB e a exercer a advocacia profissionalmente.


Na década de 80, Janaína foi a responsável pelo desenvolvimento da primeira campanha de prevenção do HIV no Brasil com foco na comunidade trans, em colaboração com o Ministério da Saúde. Ela também ajudou a criar o Grupo de Apoio Asa Branca (GRAB) e foi a primeira presidente da Associação de Travestis do Ceará (ATRAC), referência no desenvolvimento de apoio social e jurídico para a comunidade LGBTQIA+.


 Janaína era conhecida por sempre levar consigo uma cópia da lei anti-homofobia de sua cidade natal, a Lei Municipal 8.211/98, que pune a LGBTfobia em estabelecimentos comerciais, industriais, empresas prestadoras de serviços e similares que discriminarem pessoas em virtude de sua orientação sexual de Fortaleza. Ela teve papel fundamental na luta por sua aprovação. 


Em 2011, foi fundado em Fortaleza o Centro de Referência LGBT Janaína Dutra, órgão municipal que tem como missão proteger a população LGBTQIA+ em situação de violência, violações e omissões de direitos.


“Nós, enquanto travestis e transgêneros, estamos fazendo parte do processo de construção desta sociedade, para que a médio e longo prazo possa ter revertido todo este peso que a sociedade nos impõe".


Janaína infelizmente nos deixou em 2004, vítima de um câncer no pulmão. Mas seu legado na luta pelos direitos da população LGBTQIA+ no país continua, e merece ser lembrado e celebrado todos os dias. Viva Janaína!


Com informações da BBC News Brasil e Mídia Bixa, via Quebrando o Tabu