Moraújo - Prefeitura não paga energia do poço profundo e deixa comunidade sem abastecimento de água - Revista Camocim

Super promoção "Matrícula Premiada" do Colégio Future.

Super promoção "Matrícula Premiada" do Colégio Future.

Colégio Future com matrículas abertas para 2023

Colégio Future com matrículas abertas para 2023

Clique na imagem e conheça os cursos preparatórios e apoio educacional


Clique na imagem e conheça os produtos







terça-feira, 23 de novembro de 2021

Moraújo - Prefeitura não paga energia do poço profundo e deixa comunidade sem abastecimento de água



Na comunidade  de Mato Verde, no Distrito de Serrinha, município de  Moraújo, os moradores estão denunciando que o prefeito Carlos Aquila deixou de pagar a conta de energia referente ao poço profundo que abastece a comunidade, e ainda teria dito que  ele "não tem obrigação de pagar".


De acordo com relato de populares, o prefeito manteve o pagamento da energia em dia somente até quando lhe foi conveniente politicamente. Ou seja, até o dia em que parte significativa da comunidade deixou de apoiá-lo nas urnas.  


"Quando algumas pessoas aqui da região o apoiavam, tudo estava bem, depois, começou o sofrimento. Sendo que para nós da comunidade não ficarmos sem água, fizemos uma vaquinha, tirando dinheiro de onde não temos, e pagamos do nosso bolso R$ 695,73. E isso porque a energia já estava cortada." Relatou um morador da comunidade.


Outra conta no valor de R$ 262,46 teve o prazo de pagamento vencido recentemente, entrando para a lista de corte. 


Outra comunidade 


A comunidade de nome Chora, também no distrito de Serrinha, tem enfrentando problemas bem parecidos com o da comunidade Mato Verde. Lá, a bomba do poço profundo queimou e os moradores ficaram sem água no chafariz. A prefeitura não se responsabilizou e  foi preciso uma família  comprar o equipamento com recursos próprios para o povo não morrer de sede. 


Detalhe: os moradores contam que a  energia que abastecia o poço vinha de uma escola da comunidade. E com 15 dias, após a instalação da nova bomba,  a Enel cortou o abastecimento da escola por falta de pagamento, deixando, mais uma vez, o povo sem água.


Carlos Jardel