'O que era piada, hoje sabemos que mata', diz Felipe Andreoli após ter falas homofóbicas resgatadas - Revista Camocim













sábado, 30 de outubro de 2021

'O que era piada, hoje sabemos que mata', diz Felipe Andreoli após ter falas homofóbicas resgatadas



Tão logo viralizou fazendo críticas diretas ao  jogador de vôlei Maurício Souza, demitido do Minas Tênis Clube após fazer publicações homofóbicas, o apresentador da TV Globo Felipe Andreoli, teve falas antigas resgatadas pela web com o mesmo cunho homofóbico. 


"Parabéns a todas vocês, mulheres do Brasil e do mundo. Vocês são nossa alegria! Imagina um mundo sem mulher? Seríamos todos homossexuais...", escreveu ele no Twitter, no Dia das Mulheres de 2010. O tuíte está entre outros vários revisitados pelos internautas.




"Pra mim você tem cara de quem come traveco, mas sem preconceito... Vai fundo campeão", publicou também Andreoli em resposta a um seguidor, em meados de 2012. 


Durante a tarde desta sexta-feira (29), a hashtag Exposed Do Andreoli ficou entre os assuntos mais comentados do Twitter.



"O Andreoli de 2021 é muito diferente"


Após a exposição das falas homofóbicas e de ser taxado por alguns internautas como "hipócrita", o jornalista usou a mesma rede social para se manifestar, na noite desta sexta-feira (29).


O ex-integrante do Programa CQC reconheceu que "o print é eterno", mas garantiu que "o Andreoli de 2021 é muito diferente do de 2010".





"Coisas que foram ao ar, coisa que escrevi e falei estão documentadas. Absurdos. O que era considerado piada, hoje sabemos que mata. E por isso é crime. O mundo mudou, longe de ser suficiente. Mas tenho orgulho de ter aprendido, estudado a ponto de poder lutar e combater no lado certo", disse, acrescentando que está disposto a aprender mais.


"Os prints do passado, o meu vídeo de ontem e os registros do Andreoli de amanhã guardarei pra mostrar pros meus filhos, sobre o meu caminho humano, sobre o processo histórico que vivemos. E seguirei atento para ser um agente ativo no caminho de uma sociedade de liberdade e respeito", complementou.


Críticas ao vivo


Na crítica à postura do jogador de vôlei, ao vivo, o jornalista foi contundente: "Homofobia não é opinião, é crime. Mata. Você fez essa ofensa nas redes sociais que você tem mais de 300 mil seguidores e depois vai pedir desculpas em uma que você tem 50? Atitude covarde", falou Andreoli a Souza.


E seguiu: "Outra coisa: essa questão não é política. Você não foi demitido porque é conservador, cristão ou de direita, nem por culpa da lactação na internet. Você foi demitido porque foi homofóbico e pelo jeito não se arrependeu. Homofobia é crime", criticou, durante o "Globo Esporte".

As declarações de Maurício Souza se deram nas redes sociais. O jogador criticou o anúncio da editora DC Comics sobre o novo Super-Homem se descobrir bissexual nas próximas edições dos quadrinhos.


Em 27 de outubro, o atleta foi demitido do Minas Tênis Clube. Na mesma data, ele divulgou um vídeo pedindo desculpas por "defender o que acredita" e lamentando situação com o Clube.


Após a demissão por homofobia, Maurício Souza postou a foto do Superman beijando uma mulher. Ele ganhou milhares de seguidores após o episódio.


Diário do Nordeste 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.