Merenda escolar de péssima qualidade servida aos alunos foi ordem direta da Secretária da Educação de Camocim - Revista Camocim

















quarta-feira, 13 de outubro de 2021

Merenda escolar de péssima qualidade servida aos alunos foi ordem direta da Secretária da Educação de Camocim



No dia 1º de outubro o Revista Camocim, com exclusividade, noticiou AQUI o fato das escolas da rede pública municipal estarem oferecendo aos alunos, na merenda escolar, "apenas achocolatado aguado com biscoito e suco - que mais parece garapa de açúcar". O caso repercutiu nas redes sociais, na Rádio Liberdade, entre profissionais da educação, pais de alunos e na Câmara de Vereadores. Hoje, o vereador Mário Roberto (PCdoB) confirmou a denúncia e revelou que a merenda de baixo teor nutritivo, servido aos estudantes, foi uma ordem direta da Secretária Municipal da Educação, a professora Marciana de Araújo.  

As declarações do vereador foram dadas durante uma entrevista na Liberdade FM 90.3, no inicio da tarde desta quarta-feira (13). Mário Roberto disse ter entrado em contato com a mandatária da educação municipal logo após a repercussão da noticia. Segundo o parlamentar, Marciana disse que ordenou  a   confecção de uma merenda fácil e de rápida distribuição, alegando que os alunos passam apenas duas horas e quarenta e cinco minutos a escola. 


Ouça AQUI a entrevista 


O vereador se posicionou contra a orientação da secretária com o entendimento de que, independente do tempo de permanência do aluno em sala da aula, a merenda precisa ser regular , completa e nutritiva. Para ele, o problema é falta de planejamento da Secretária da Educação. Inclusive, em visita ao  Depósito da Merenda Escolar,  o parlamentar, que também é professor efetivo, constatou apenas os itens suco, biscoito,achocolatado, açucara, leite e massa de milho. 


O chefe do depósito teria informado que a secretária teria cobrado dos fornecedores o abastecimento do estoque. 


O vereador Mário informou ainda que o Governo Federal enviou para o abastecimento da merenda escolar R$ 970 mil reais, quase um milhão, o que daria para fornecer alimento de qualidade para os alunos, que encontram na escola, muitos, a primeira e única refeição do dia, haja vista a pobreza e o desemprego em Camocim, agravados pela pandemia de covid-19.


Carlos Jardel 


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.