Aniversário de Camocim: Associação dos Retalhistas ganha livro contando sua história - Revista Camocim

















quarta-feira, 29 de setembro de 2021

Aniversário de Camocim: Associação dos Retalhistas ganha livro contando sua história




Após polêmica envolvendo a derrubada de seu prédio, considerado de valor histórico e artístico para a cidade de Camocim, a antiga Associação dos Retalhistas será tema de livro. Escrita pelo jornalista e publicitário Paulo Emanuel Lopes, a obra resgatará a história não somente do prédio, mas das pessoas que tiveram suas vidas entrelaçadas com a Associação. A iniciativa parte do empresário camocinense Antonio Manoel Fontenele Veras Filho, que escolheu a data de hoje, aniversário de Camocim, para anunciar o projeto.


“Eu gosto de valorizar a história, de dar um tom diferenciado aos prédios que eu construo”, explica Antonio Filho. “Desde que surgiu a possibilidade de adquirir aquele imóvel, sempre pensei em manter o nome Associação dos Retalhistas lá em cima, os traços do antigo prédio, valorizar a história do lugar. Pena que não foi possível manter a fachada original, já que estava muito danificada. Mas agora a memória da Associação será resgatada e preservada, através deste livro que estamos financiado. É um presente de aniversário cultural, que nossa cidade merece pelos seus 142 anos”, conta o empresário. O novo edifício será batizado em homenagem a sua avó, dona Francisca Fontenele Veras, que residia vizinha à antiga Associação.


“A última reunião da Associação dos Retalhista de Camocim com todos os sócios, digo os antigos, fundadores, foi em 1970”, explica o empresário Chico Ricardo, atual presidente da Associação. “Houve então uma debandada muito grande. Alguns dos sócios foram para a Associação Comercial, outros infelizmente faleceram, e ela ficou sem fazer reunião de 1970 até 1994”.


Naquele ano, o ex-prefeito de Camocim, Edilson Veras Coelho, tomou para si a missão de resgatar a Associação, presidindo-a por anos sucessivos até 2005, quando passou a tarefa ao atual presidente, o senhor Chico Ricardo. “Estava insustentável manter aquele prédio. Com a morte do tesoureiro Francisco Fontenele Frota, as pessoas deixaram de recolher [as taxas], os inquilinos pararam de pagar o aluguel. Então houve uma votação e a maioria dos sócios pediu para que fosse efetuada a venda do imóvel”, conta o empresário do ramo de autopeças. Chico Ricardo elogia a atitude do sócio Antonio Filho. “Nós podemos não ter mais a sede física, mas vamos ficar com a história daquela que já foi uma grande Associação em Camocim.”


Um novo edifício com traços do antigo




A Tecnóloga em Edificação Liliane Cristina, responsável pelo projeto do novo edifício, conta que, desde o início, houve interesse do empresário em manter as características do prédio antigo. “Quando o proprietário me procurou, ele já vinha com o desejo de construir um novo prédio preservando a originalidade do antigo. Trouxe fotos do prédio, então guardamos muitos detalhes da construção. A edificação existente tinha paredes largas e de tijolos maciços, que já estavam muito desgastadas pelo tempo, e um laudo técnico mostrou que seria mais prudente demolir e construir novamente”, conta a profissional.




Paulo Emanoel Lopes

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.