Com forte inflação da carne, ovo ganha destaque na mesa do cearense - Revista Camocim















segunda-feira, 15 de março de 2021

Com forte inflação da carne, ovo ganha destaque na mesa do cearense




Com preços bem mais atraentes, principalmente diante do contexto de crise econômica, o ovo ganhou cada vez mais protagonismo nas refeições do cearense e do brasileiro nos últimos meses. Além de naturalmente mais barato, o produto teve variação de preço aquém do que foi observado na carne vermelha: de acordo com a inflação de Fortaleza medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), enquanto o ovo subiu 13,1% de março do ano passado até fevereiro de 2021, o preço da carne teve uma variação de 26,1%.


O membro da Associação Cearense de Avicultura (Aceav) e sócio-diretor da Avine Alimentos, Airton Carneiro Júnior, pontua que o consumo de ovos no Estado e em todo o País cresce de maneira contínua, mas durante o isolamento social rígido de 2020 e a corrida aos supermercados, o produto chegou a faltar, “o que momentaneamente impactou os preços”, explica.


“Cada vez fica mais claro que o ovo é muito saudável, aliás, é o segundo alimento mais completo da natureza, só perde para o leite materno”, afirma Airton Carneiro Júnior. De acordo com ele, no Brasil, o consumo é estimado em 250 ovos por habitante/ano, próximo à média de consumo mundial... Leia a Matéria completa do Diário do Nordeste AQUI



Alfinetada


Em Camocim há oito anos e dois meses e meio - tempo exato de retorno da "Pandemia Aguiar" -  tanto o ovo como a mortadela tem sido o principal prato de muitos camocinenses.


 Lembra do "agora é ela, ovo e mortadela?!", pois bem...


Carlos Jardel

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.