PREFEITA SOLICITA PERMISSÃO PARA CONTRATAÇÃO TEMPORÁRIA - Revista Camocim

Clique na imagem e se inscreva no nosso canal


Clique na imagem e conheça nossos produtos e ofertas

Clique na imagem e conheça nossos produtos e ofertas


Clique na imagem e fale com a gente

Em Camocim, hospede-se nos hotéis Ilha Park e Ilha Praia Hotel. Clique na imagem e faça sua reserva




terça-feira, 17 de dezembro de 2013

PREFEITA SOLICITA PERMISSÃO PARA CONTRATAÇÃO TEMPORÁRIA

CONTRATOS TERÃO VALIDADE DE UM ANO E PODEM SER PRORROGADOS POR 36 MESES,  É O QUE PREVÊ PROJETO DA PREFEITA

A prefeita Monica Aguiar enviou mensagem para o Legislativo Municipal solicitando permissão para efetuar contratação temporária de servidores púbicos a fim de atender as necessidades do município nas áreas de saúde, educação, infraestrutura e demais setores da prefeitura. Só que desta vez, a intenção da Chefe do Executivo é que os contratos tenha a validade de 1 (um) ano, com prorrogação de 36 (trinta e seis) meses, o equivalente aos 03 (três) últimos anos de sua gestão.

O vereador Ricardo Vasconcelos, líder da bancada de oposição, já sinalizou que o projeto está em desconformidade com a Lei Municipal e lembrou que na gestão do ex-prefeito Vaulino, os contratos tinham  validade de 6 (seis) meses com prorrogação por mais 06 meses.

Ainda na linha de questionamentos o líder da oposição, em contato com o Revista Camocim, enfatizou que o projeto da prefeita é também uma sinalização forte de que ela não pretende convocar os aprovados do concurso público.

“A prefeita quer ficar livre da Câmara durante toda sua gestão para contratar da forma que ela bem entender, afrontando todos os aprovados do concurso público, que travaram uma luta na Justiça para conseguirem os seus direitos”, destacou Ricardo.


A matéria será discutida na quarta-feira, dia 18, na Comissão de Constituição, Justiça,
Legislação e Redação Final da Câmara e seguirá para votação da plenária na sexta-feira, dia 20, às 09 da manhã, na última sessão ordinária deste ano, antes do recesso Legislativo.

Carlos Jardel