QUADRA CHUVOSA DETERMINARÁ FUTURO ENERGÉTICO DO PAÍS - Revista Camocim

Clique na imagem para enviar o seu curriculum

Clique na imagem e conheça nossos produtos e ofertas

Clique na imagem e conheça nossos produtos e ofertas

Financiamento a partir de R$160 mil.Venha conversar com a gente. Clique na imagem.


Em Camocim, hospede-se nos hotéis Ilha Park e Ilha Praia Hotel. Clique na imagem e faça sua reserva




quarta-feira, 9 de janeiro de 2013

QUADRA CHUVOSA DETERMINARÁ FUTURO ENERGÉTICO DO PAÍS


Caso não haja melhora climática até fevereiro, chance de o setor ter novo racionamento de energia ganhará força

 Reservatórios em nível semelhante à época que precedeu o racionamento de 2001 FOTO: CID BARBOSA
A quadra chuvosa dos primeiros meses de 2013 será determinante para deixar nítido o horizonte energético do País. Sem a ajuda dos céus, que foram econômicos ao enviar chuvas para o Brasil no ano passado, o setor elétrico se encontra no nível mais crítico desde o racionamento - no início da década passada - e é novamente posto em xeque. Para completar o cenário obscuro, as térmicas, que funcionam como importante seguro em épocas de seca, já operam em capacidade máxima. Além disso, o consumo de energia se mantém aquecido, mesmo em período de baixo crescimento econômico, o que agrava a situação.
Caso não ocorra uma melhora climática até fevereiro, a possibilidade de o setor encarar novo racionamento de energia é "uma realidade", de acordo com avaliação do consultor de energia e professor de Instalações Elétricas e Industriais da Universidade de Fortaleza (Unifor), João Mamede Filho.
"Estamos num período muito seco. Já deveria estar chovendo desde novembro no Sudeste, que concentra a maioria das barragens. Temos o inverno normal até abril, quando as chuvas já começam a parar. Se o nível atual de precipitações continuar ou se houver apenas chuvas localizadas, o racionamento poderá ocorrer", analisa o engenheiro. Continue lendo a matéria AQUI no Diário do Nordeste

Carlos Jardel
Fonte DN