MPCE pede cancelamento de shows de Wesley Safadão e Padre Fábio de Melo em aniversário de Crateús - Revista Camocim

Clique na imagem e se inscreva no nosso canal


Clique na imagem e conheça nossos produtos e ofertas

Clique na imagem e conheça nossos produtos e ofertas


Clique na imagem e fale com a gente

Em Camocim, hospede-se nos hotéis Ilha Park e Ilha Praia Hotel. Clique na imagem e faça sua reserva




quarta-feira, 3 de julho de 2024

MPCE pede cancelamento de shows de Wesley Safadão e Padre Fábio de Melo em aniversário de Crateús



O Ministério Público do Estado do Ceará (MPCE) solicitou à Justiça o cancelamento das atrações do aniversário de Crateús, município do interior do Ceará, que celebra nesta semana 192 anos e shows de artistas como Wesley Safadão e Padre Fábio de Melo.


Segundo o órgão, os gastos públicos com a festa são "desproporcionais à atual situação financeira do município". 


Segundo a Ação Civil Pública (ACP), ajuizada pela 7ª Promotoria de Justiça de Crateús, é prudente manter apenas o show do grupo É O Tchan, pois o pagamento já foi efetuado. 


O evento "Crateús 192 anos" ocorre entre 3 e 6 de julho, e tem sido divulgado nas redes sociais da Prefeitura. O cantor Wesley Safadão, inclusive, já gravou um vídeo chamando o público para a apresentação no último dia de festejos. 


O Diário do Nordeste tentou contato com a assessoria de comunicação da Prefeitura de Crateús, mas não obteve resposta até a publicação desta matéria. O conteúdo será atualizado quando a prefeitura se manifestar.


Estão previstos para os shows:


  • Wesley Safadão,
  • É o Tchan,
  • Anderson Freire,
  • Forró Real,
  • Gil Mendes,
  • Jonatha & Chistiano
  • Padre Fábio de Melo


GASTO DEZ VEZES MAIOR QUE DESPESAS COM CRIANÇAS E ADOLESCENTES 


Conforme o MPCE os gastos com os shows totalizam R$ 1,4 milhão, um valor dez vezes maior que o das despesas do Fundo Municipal da Criança e Adolescente previstas para este ano.


O montante ainda é o triplo do orçamento para o ano da Secretaria Municipal de Proteção à Mulher e à Família, e superior às despesas anuais da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico, Tecnologia e Empreendedorismo. 


"Outro argumento apresentado é que a Prefeitura já havia declarado situação de emergência causada pela estiagem em algumas áreas, alegando não ter capacidade logística para distribuir água potável na zona rural.


Entretanto, o montante para pagar os artistas é suficiente para adquirir oito carros-pipas do mesmo modelo e ano que o município já possui, sendo ainda equivalente à compra de dois veículos novos", diz o MP.


Diário do Nordeste