Ceará registra sétimo melhor saldo de empregos formais do país em maio - Revista Camocim

Clique na imagem e conheça nossos produtos e ofertas

Clique na imagem e conheça nossos produtos e ofertas


Clique na imagem e fale com a gente

Em Camocim, hospede-se nos hotéis Ilha Park e Ilha Praia Hotel. Clique na imagem e faça sua reserva




sexta-feira, 28 de junho de 2024

Ceará registra sétimo melhor saldo de empregos formais do país em maio


O Ceará obteve um saldo positivo na criação de empregos formais em maio de 2024, alcançando o sétimo melhor resultado no país, com 6.956 novos postos de trabalho. Os dados são do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Novo Caged), do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE). Este desempenho coloca o estado na segunda posição no Nordeste, atrás apenas da Bahia, que registrou um saldo de 8.785 empregos.


O saldo positivo no Ceará resultou de 52.255 admissões e 45.299 demissões. Os setores que mais contribuíram para esse resultado foram:


  • Serviços: Liderou a geração de novos empregos com um saldo de 3.567 postos, fruto de 24.530 contratações e 20.963 demissões.
  • Indústria: Apresentou um saldo positivo de 1.758 novos empregos, com 9.888 admissões e 8.130 desligamentos.

  • Construção: Registrou um saldo de 857 novos postos de trabalho.
  • Comércio: Teve um saldo positivo de 778 novos empregos.
  • Agropecuária: Foi o único setor com saldo negativo, perdendo 5 postos formais de trabalho.


No acumulado dos primeiros cinco meses de 2024, o Ceará manteve um bom desempenho, ocupando novamente a segunda posição no Nordeste, atrás da Bahia, e a 12ª posição no cenário nacional. Durante este período, o estado registrou 250.506 admissões e 226.763 demissões, resultando na criação de 23.743 novos postos de trabalho.


Os setores que mais contribuíram para esse resultado acumulado foram:


  • Serviços: Com um saldo de 18.510 novos postos de trabalho, liderando a geração de empregos formais no estado.
  • Indústria: Apresentou um saldo positivo de 3.449 novos empregos.
  • Construção: Registrou um saldo positivo de 2.777 novos postos.
  • Comércio: Apesar de um saldo negativo de 646 empregos, o setor contribuiu significativamente para a movimentação do mercado de trabalho.
  • Agropecuária: Teve um saldo negativo de 348 empregos formais.


O desempenho positivo na criação de empregos formais no Ceará reflete um ambiente econômico em recuperação e crescimento, especialmente nos setores de serviços e indústria.


GC+