Confirmada a morte do presidente do Irã, Ebrahim Raisi, em queda de helicóptero - Revista Camocim

Clique na imagem e se inscreva no nosso canal


Clique na imagem e conheça nossos produtos e ofertas

Clique na imagem e conheça nossos produtos e ofertas


Clique na imagem e fale com a gente

Em Camocim, hospede-se nos hotéis Ilha Park e Ilha Praia Hotel. Clique na imagem e faça sua reserva




segunda-feira, 20 de maio de 2024

Confirmada a morte do presidente do Irã, Ebrahim Raisi, em queda de helicóptero

O presidente do Irã, Ebrahim Raisi, morreu aos 63 anos após a queda de um helicóptero, conforme informou o Ministério das Relações Exteriores do Irã nesta segunda-feira (20). O acidente ocorreu no domingo (19), devido a más condições climáticas.


Raisi, eleito em 2021 e com mandato até 2025, estava em um voo que retornava do Azerbaijão quando a aeronave caiu em uma região montanhosa entre as aldeias de Pir Davood e Uzi, na província de Azerbaijão Oriental, cerca de 600 km a noroeste de Teerã. Além de Raisi, o acidente também vitimou o chanceler Hossein Amirabdollahian. A presença de Malek Rahmati, governador da província, e Hojjatoleslam Al Hashem, líder religioso, a bordo não foi confirmada, mas a imprensa oficial indicou não haver sinais de sobreviventes.


A busca pelo helicóptero levou aproximadamente 12 horas devido às difíceis condições de acesso e ao mau tempo. A aeronave foi localizada apenas na madrugada de segunda-feira por membros do Crescente Vermelho iraniano, com a ajuda de um drone enviado pela Turquia.


Inicialmente, foi informado que o helicóptero havia tentado um pouso forçado. Posteriormente, a imprensa oficial confirmou que o acidente foi causado por condições climáticas adversas.


Quem era Ebrahim Raisi


Ebrahim Raisi foi eleito presidente do Irã em 2021, em uma eleição marcada por abstenção recorde e pela exclusão de vários candidatos pela Conselho de Guardiães da Constituição. Conhecido por sua participação nas comissões da morte da década de 1980, Raisi enfrentou sanções dos EUA em 2019 por essas ações. Durante seu governo, ele reprimiu violentamente os protestos pela morte de Mahsa Amini, resultando na morte de mais de 500 manifestantes.


Repercussão Internacional


A morte de Raisi gerou reações internacionais. O ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergei Lavrov, expressou condolências às famílias das vítimas e ao povo iraniano. O ministro das Relações Exteriores da Turquia, Hakan Fidan, lamentou a perda e destacou os esforços de resgate.


GC+