Barco encontrado no Pará com corpos chega à terra firme para início da perícia - Revista Camocim

Clique na imagem e conheça nossos produtos e ofertas

Clique na imagem e conheça nossos produtos e ofertas


Clique na imagem e fale com a gente

Em Camocim, hospede-se nos hotéis Ilha Park e Ilha Praia Hotel. Clique na imagem e faça sua reserva




segunda-feira, 15 de abril de 2024

Barco encontrado no Pará com corpos chega à terra firme para início da perícia

O barco encontrado à deriva com corpos no litoral paraense neste fim de semana foi resgatado e rebocado até uma área de trapiche em terra firme no fim da noite deste domingo (14). Polícia Federal, bombeiros, Marinha e outras autoridades concluíram o reboque da embarcação até um porto em Bragança, cidade do nordeste paraense distante cerca de 215 quilômetros da capital Belém. Por volta da 1h desta segunda-feira (15), o barco era içado com auxílio de uma máquina retroescavadeira para retirá-lo da margem do rio e colocá-lo em um caminhão, responsável por levar a embarcação até o Instituto Médico Legal em Bragança para início da perícia. Uma lona foi colocada por cima do barco e os corpos permanecem na embarcação, sendo retirados apenas no IML seguindo procedimentos recomendados. Durante todo o processo de retirada do barco da água, os agentes envolvidos usavam máscaras. Os trabalhos de resgate da embarcação com os corpos começaram pela manhã e duraram mais de 12 horas. A maré baixa e a necessidade de rebocar o barco em baixa velocidade dificultaram o traslado. A suspeita é que as vítimas sejam estrangeiras, visto que as autoridades da região não foram notificadas sobre desaparecimento de barcos com pessoas no Brasil. A Polícia Federal e o Ministério Público Federal investigam o caso para descobrir a nacionalidade das vítimas e as circunstâncias da morte. Uma equipe de papiloscopistas da Polícia Federal de Brasília foi enviada para Bragança para trabalhar na identificação das vítimas. O MPF abriu duas investigações sobre o caso, uma na área criminal e outra civil, que serão conduzidas pela Procuradoria Regional dos Direitos do Cidadão. Via G1