Areninha na beira do mar: Jaime Veras assume projeto fadado ao alagamento e acha ruim as criticas dos donos do dinheiro - Revista Camocim

Clique na imagem e conheça nossos produtos e ofertas

Clique na imagem e conheça nossos produtos e ofertas


Clique na imagem e fale com a gente

Em Camocim, hospede-se nos hotéis Ilha Park e Ilha Praia Hotel. Clique na imagem e faça sua reserva




quarta-feira, 20 de março de 2024

Areninha na beira do mar: Jaime Veras assume projeto fadado ao alagamento e acha ruim as criticas dos donos do dinheiro

 



O Jaime Veras, prefeito de Barroquinha, é da mesma escola da Oligarquia Aguiar, de Camocim, que costumar jogar dinheiro público no 'ralo' com projetos fadados ao fracasso ainda na planta. Como foi o caso, dentre tantos, do anfiteatro do Lago Seco, o projeto de urbanização da Lagoa das Tierres e, por derradeiro, o Mercado Titanic.




Ai aparace o Jaime Veras, imaginando ser o poderoso Poseidon, o deus grego dos mares e dos rios, querendo construir na Beira da Praia de Bitupitá uma Areninha para confrontar a força do Mar? 


Ou o prefeito perdeu o juízo ou subestima a capacidade de raciocínio das pessoas: estava desenhado, desde sempre, cristalinamente, que a Maré, cedo ou tarde, iria reivindicar o espaço que lhe pertence. 


Uma coisa é um projeto ser viabilizado com perspectivas de erros e possíveis reajustes. Isso é normal e aceitável. Outra coisa é um projeto ser viabilizado, por A + B, já fadado ao insucesso pleno. Isso é irresponsabilidade.  


Sobre as pessoas que fizeram chacota e ironizaram o “projeto alagado” do senhor prefeito, agiram com razão e direito, no entanto, a crítica foi contra a ideia insana do local, e não contra o equipamento esportivo.


Não custa lembrar, o que Jaime faz questão de ignorar que: o dinheiro pertence ao povo! 


Carlos Jardel