Vai começar! - Revista Camocim

Clique na imagem e conheça nossos produtos e ofertas

Clique na imagem e conheça nossos produtos e ofertas


Clique na imagem e fale com a gente

Em Camocim, hospede-se nos hotéis Ilha Park e Ilha Praia Hotel. Clique na imagem e faça sua reserva




quarta-feira, 14 de fevereiro de 2024

Vai começar!



Em Camocim a disputa pela prefeitura ficará mais uma vez polarizada: Tijuca, comandada pelo casal Chico Vaulino e Euvaldete Ferro, contra a oligarquia Aguiar, chefiada por Sérgio e Monica. A Betinha, atual prefeita do grupo, como não apita em nada, continuará fazendo teatro de gestora, quando, na realidade, precisaria era pedir para sair, afinal de contas, já tem o título popular de “a pior prefeita desde a emancipação politica de Camocim”. Não fez nada! 


A Câmara de Vereadores também será palco de confusões ainda mais intensas do que as dos anos tidos como normais.  Os vereadores, todos, estão buscando suas reeleições a todo custo. E isso para os situacionistas implica em: se beneficiar com a máquina pública e passar a rasteira no colega de bancada com as seguintes práticas: assediando o cabo eleitoral alheio, queimando o filme do colega para os líderes e o boicotando na gestão. Sim, são estratégias utilizadas por todos, mas, principalmente, por quem está no poder. 


Por falar de poder, o deputado Sérgio Aguiar quer colocar o Cleile Júnior no poder legislativo para tirar os que ele não confia: James do Gado e Chiquinho do Peixe. Mas isso trato melhor noutra postagem, porque será preciso falar da presidência da Câmara. 


Euvaldete Ferro parte com apoio do PT de Lula, Elmano e Camilo. Elmano já desenhou seu apoio. Tem ainda o líder do governo na Assembleia, o deputado Romeu Aldigueri e o federal José Aírton, dois figurões de peso da atual política cearense. Já o grupo de Sérgio tentará jogar com a máquina, desobedecendo às regras, porém com o peso do fracasso da gestão. Neste caso, caprichará nas mentiras, matéria da qual é especializado, mestre e doutor. 


Agora não demora mais. Já a alegria democrática invade as ruas de Camocim naquele carnaval. 


Carlos Jardel