Em meio à crise política, prefeito de Santa Quitéria vai retornar ao cargo após decisão do STJ - Revista Camocim

Clique na imagem e conheça nossos produtos e ofertas

Clique na imagem e conheça nossos produtos e ofertas


Clique na imagem e fale com a gente

Em Camocim, hospede-se nos hotéis Ilha Park e Ilha Praia Hotel. Clique na imagem e faça sua reserva




quinta-feira, 22 de fevereiro de 2024

Em meio à crise política, prefeito de Santa Quitéria vai retornar ao cargo após decisão do STJ


O município de Santa Quitéria, na região Norte do Estado, vive um clima de instabilidade política que deve ter um novo capítulo nos próximos dias. O prefeito afastado da Cidade, José Braga Barroso, o “Braguinha”, conseguiu um habeas corpus no Superior Tribunal de Justiça (STJ), em Brasília, para retornar ao cargo. 


Braguinha estava afastado do cargo desde abril do ano passado por conta de uma operação do Ministério Público que investiga suspeitas de corrupção na gestão dele. Na oportunidade, secretários da Prefeitura também foram afastados. 


O processo contra o prefeito está no Tribunal de Justiça do Ceará, mas, em recurso ao STJ, Braguinha conseguiu retornar à função, a oito meses da próxima eleição. 


Lígia Protásio, que está no comando do Executivo municipal vai retornar à vice-prefeitura. 


A decisão do STJ foi comunicada ao Tribunal de Justiça na noite dessa quarta-feira (21). Agora, a defesa do prefeito Braguinha, feita pelo advogado Waldir Xavier, aguarda a publicação do inteiro teor da decisão e a comunicação à Câmara Municipal do Município para que seja marcada a posse do prefeito. 


As suspeitas no Município 


A investigação começou ainda em 2022, a partir de denúncia feita por vereadores do município. Os parlamentares alegaram gastos excessivos na Prefeitura de Santa Quitéria em postos de combustível na cidade.  


À época, os parlamentares denunciaram gastos com combustíveis para a frota da Prefeitura. Segundo os vereadores, só em 2021, o gasto foi de R$ 3.321.140,99, o que seria incompatível com os valores gastos em outros municípios do mesmo porte. 


O Poder Judiciário determinou ainda encerramento dos contratos da Prefeitura com as empresas investigadas, que atuam na prestação de serviços de limpeza pública e abastecimento de veículos.  


O prefeito Braguinha nega as acusações, mas o caso segue sendo investigado. 


Diário do Nordeste