Pais Atípicos publica nota denunciando descumprimento da lei que proíbe soltar fogos barulhentos - Revista Camocim

Clique na imagem e fale com a gente

Clique na imagem e conheça nossos produtos e ofertas

Clique na imagem e conheça nossos produtos e ofertas

Financiamento a partir de R$160 mil.Venha conversar com a gente. Clique na imagem.


Em Camocim, hospede-se nos hotéis Ilha Park e Ilha Praia Hotel. Clique na imagem e faça sua reserva




segunda-feira, 11 de dezembro de 2023

Pais Atípicos publica nota denunciando descumprimento da lei que proíbe soltar fogos barulhentos

Denúncia: Descumprimento da Lei Municipal nº 1587/2022 em Camocim



Segue a postagem:


- É com profundo desapontamento e indignação que reportamos o contínuo descumprimento da Lei Municipal nº 1587/2022 em Camocim, sancionada pela Prefeita Betinha Magalhães. Essa legislação, uma iniciativa louvável do vereador Emanoel Vieira, foi criada para regular o uso de fogos de artifício barulhentos na cidade, visando a proteção da saúde física e psíquica de grupos vulneráveis, incluindo idosos, crianças com Transtorno do Espectro Autista, pessoas doentes ou acamadas, e também a proteção de animais domésticos e silvestres.


LEIA TAMBÉM: Fogos: Prefeita de Camocim descumpre a própria lei


Apesar da clareza e da nobreza dos objetivos desta lei, observamos, com crescente frustração, que seu cumprimento tem sido sistematicamente ignorado. O uso descontrolado de fogos de artifício barulhentos continua a perturbar a paz e a tranquilidade desses grupos vulneráveis, desconsiderando os impactos negativos em sua saúde e bem-estar. Essa negligência não só desrespeita a lei, mas também demonstra uma falta de empatia e responsabilidade para com aqueles que a lei visa proteger.


Assista também



Esta não é a primeira vez que essa lei é descumprida em nosso município, mas essa recorrência não pode ser desculpa para a inação. O descumprimento desta legislação, que possui um impacto tão direto e significativo na qualidade de vida de muitos cidadãos, é particularmente alarmante.


Fazemos um apelo às autoridades responsáveis para que tomem medidas imediatas e eficazes para garantir o cumprimento desta lei. É crucial que a administração da cidade de Camocim atue não apenas como um órgão regulador, mas também como um protetor ativo dos direitos e do bem-estar de seus cidadãos, especialmente os mais vulneráveis.


A população de Camocim merece viver em um ambiente que respeita sua saúde e tranquilidade. É hora de as autoridades locais mostrarem seu compromisso com o bem-estar de todos os habitantes da cidade, fazendo valer a Lei Municipal nº 1587/2022. Não podemos continuar permitindo que esta importante legislação seja ignorada.


País Atípicos