Companhias aéreas prometem reduzir preços e devem vender passagens de até R$ 799 em 2024 - Revista Camocim

Clique na imagem para enviar o seu curriculum

Clique na imagem e conheça nossos produtos e ofertas

Clique na imagem e conheça nossos produtos e ofertas

Financiamento a partir de R$160 mil.Venha conversar com a gente. Clique na imagem.


Em Camocim, hospede-se nos hotéis Ilha Park e Ilha Praia Hotel. Clique na imagem e faça sua reserva




terça-feira, 19 de dezembro de 2023

Companhias aéreas prometem reduzir preços e devem vender passagens de até R$ 799 em 2024


As três principais companhias aéreas que atuam no Brasil anunciaram, nessa segunda-feira (18), um plano de universalização do transporte aéreo que deve reduzir o preço das passagens em 2024. Azul, Gol e Latam prometeram vender tickets entre R$ 699 e R$ 799 por trecho viajado. 


A medida faz parte de programa fruto da parceria entre as empresas do setor e o Ministério de Portos e Aeroportos.


No entanto, os preços dos bilhetes aéreos com tarifas máximas, de R$ 699 e R$ 799 por trecho, ainda ficaram acima da tarifa aérea real média em voos domésticos, divulgada pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac). No último levantamento, em setembro de 2023, o preço médio chegou a R$ 748, o maior do ano. O painel da Anac apresenta os dados das tarifas aéreas comercializadas desde 2002.


Despacho de mala grátis e maior ofertas de voos 


A iniciativa anunciada nessa segunda-feira ainda inclui outras ações para incentivar o consumo de passagens mais baratas. São elas: 


  • valores mais acessíveis para bilhetes comprados até 14 dias antes da data da viagem;
  • inclusão de serviços de remarcação sem cobrança de taxa adicional;
  • oferta de tarifas mais acessíveis para compras realizadas em determinados dias da semana;
  • aumento no número de oferta de voos;
  • ampliação da frota aérea;
  • gratuidade no despacho de bagagens e marcação de assento para compras feitas em cima da hora e aumento na oferta de assentos.


O ministro de Portos e Aeroportos, Silvio Costa Filho, acredita que as medidas tornarão os voos domésticos mais acessíveis. 


“Um conjunto de pacotes que vai beneficiar o consumidor final brasileiro. E a primeira etapa [do Programa de Universalização do Transporte Aéreo], ao longo de 2024, vamos, cada vez mais, ao lado das aéreas, ao lado de todo o governo, perseguir para que a gente possa ter uma redução nas tarifas no Brasil e fazer com que, ao final, o consumidor brasileiro viaje mais.”


Medidas por companhia aérea


As propostas das três companhias aéreas serão válidas a partir de 2024. Confira as principais medidas anunciadas.


Azul


  • oferta de 10 milhões de passagens por até R$ 799 por trecho, por ano, para compras com antecedência de até 14 dias;
  • marcação de assento e bagagem despachada gratuitamente para compras realizadas de última hora.


O CEO da Azul Linhas Aéreas Brasileiras, John Rodgerson, disse que um terço dos assentos dos voos da companhia estarão nesta condição. “Estamos animados para fazer esta contribuição como primeiro passo, antes de ter uma saída com a judicialização ou do combustível, outras coisas, porque a gente acredita no mercado livre, que se atacarmos o custo de juros neste país, se atacarmos o preço do combustível, a tarifa média, naturalmente, vai cair”.


Gol


  • 15 milhões de passagens por até R$ 699 por trecho para compras com antecedência mínima de 14 dias;
  • promoção com voos de R$ 600 a R$ 800, nas compras realizadas com 21 dias de antecedência da data do voo;
  • despacho gratuito da bagagem para o passageiro que comprar o bilhete de última hora;
  • tarifas de assistência emergencial com desconto de até 80% na tarifa disponível, quando ocorrer o falecimento de um familiar direto. 

“A gente está aqui, justamente, para passar essa percepção, firmar compromissos para que a gente possa criar essa agenda positiva, para que a população brasileira saiba que tem um setor que quer, de fato, crescer, estar de portas abertas e dar acesso”, disse o CEO da Gol, Celso Ferrer.


Latam


  • campanhas publicitárias para ensinar os consumidores como comprar passagens aéreas mais baratas, com planejamento;
  • promoção com um destino semanal com tarifa abaixo de R$ 199;
  • atualização do programa de fidelidade, que perde validade para uso das milhagens;
  • aumento da oferta em 3 milhões assentos, com a média de 10 mil assentos diários nos voos da companhia.


O CEO da Latam, Jerome Cadier, anunciou ainda que no programa de milhas da companhia aérea os pontos não expirarão em dois anos. "Nossos pontos não irão caducar a partir de 2024, desde que usados com a Latam”.


Ele ainda enfatizou a necessidade de haver um trabalho educativo com passageiros no Brasil sobre compras de passagens antecipadas, pois, 6% dos bilhetes custam mais de R$ 2 mil porque, na maioria das vezes, as passagens são compradas a menos de 10 dias do dia de embarque. “Precisamos fazer um esforço coletivo, que o povo brasileiro possa tentar comprar as passagens com mais antecedência, porque quanto mais planejamento, previsibilidade, eles vão comprar passagens mais baratas no Brasil”, afirmou.


Diário do Nordeste