Atualização do caso da execução do inspetor de polícia civil em Granja - Revista Camocim

Clique na imagem e fale com a gente

Clique na imagem e conheça nossos produtos e ofertas

Clique na imagem e conheça nossos produtos e ofertas

Financiamento a partir de R$160 mil.Venha conversar com a gente. Clique na imagem.


Em Camocim, hospede-se nos hotéis Ilha Park e Ilha Praia Hotel. Clique na imagem e faça sua reserva




terça-feira, 19 de dezembro de 2023

Atualização do caso da execução do inspetor de polícia civil em Granja

 O agente iniciou as ativadas na instituição há somente um ano, e estava lotado na DHPP, em Fortaleza



A ação criminosa e covarde que culminou com a execução do Inspetor de Polícia Civil, Glicério Félix de Almeida, 41 anos, já está praticamente elucidada, essas são as informações adquiridas pelo blog Camocim Polícia 24h junto às forças de segurança.


Dois adolescentes suspeitos de participação no sinistro foram apreendidos e aguardam vagas para internamento em um Centro de Ressocialização para adolescentes em conflitos com a lei. A pistola do policial também foi recuperada e um suspeito conhecido como Macumbeiro morreu em confronto com as forças de segurança. Outras duas armas de fogo foram apreendidas durante as operações.


Motivação


Conforme o apurado com base nos depoimentos dos suspeitos no inquérito policial, o policial civil havia chegado há poucos dias na cidade de Granja, mais precisamente no barro Boca do Acre, local onde reside sua mãe. Incomodado com a presença do policial, um traficante teria ordenado um adolescente para monitorar o policial, e teria o orientado que avisasse a “Macumbeiro” quando ele estivesse de maneira vulnerável.


Na noite do sinistro, domingo, 17, o adolescente teria visto o policial sentado em um banco da praça do bairro Boca do Acre, falando ao celular e viu que ele estava vulnerável. O adolescente teria avisado a Macumbeiro que logo chegou na praça e executou o policial, segundo o depoimento dos suspeitos. Na fuga o executor teria levado também a arma do policial e entregue a outro menor de idade que estaria no apoio. Ressaltamos mais uma vez que as informações aqui postadas tiveram como base os depoimentos dos suspeitos contidos no inquérito policial.


A Polícia Civil investiga a veracidade dos depoimentos dos suspeitos e se há participação de mais pessoas do sinistro que ceifou a vida do Inspetor de Polícia Civil.


Camocim Polícia 24h