Anderson Alves: a prefeitura de Camocim nada faz pela Guarda Municipal - Revista Camocim


Clique na imagem e conheça nossos produtos e ofertas

Clique na imagem e conheça nossos produtos e ofertas


Clique na imagem e fale com a gente

Em Camocim, hospede-se nos hotéis Ilha Park e Ilha Praia Hotel. Clique na imagem e faça sua reserva




quinta-feira, 19 de outubro de 2023

Anderson Alves: a prefeitura de Camocim nada faz pela Guarda Municipal



A crítica é do ex-secretário adjunto de Segurança Pública e Defesa Civil do Governo Betinha, Anderson Alves, referente ao Dia Nacional das Guardas Municipais, celebrado no último dia 10 de outubro. 


"Os guardas civis municipais de Camocim estão abandonados pela gestão municipal. Não têm, sequer, equipamentos de proteção individual. E os que possuem, são porque compraram subtraindo do próprio salário. E por falar em salário, eles ganham o mais baixo da região. 


A atual prefeita prometeu na campanha - no seu plano de governo - estruturar a Guarda Civil Municipal, mas ficou apenas nas promessas de eleição e no papel. 


Camocim precisa de uma guarda atuante. Os meninos (guardas) são excelentes profissionais, com força de vontade de trabalhar. Falta-lhes estrutura e incentivo da gestão. 


A presença dos guardas inibe vandalismo e demais situações. E a cidade sofre com uma onda de brigas no Mercado Público, por falta de segurança pública. A Guarda Municipal poderia e deveria auxiliar as Polícias - Civil e Militar - no combate à criminalidade, como faz, por exemplo, a Guarda de Pacajus, que hoje é uma referência no Estado; bem equipada, estruturada e com reais condições de trabalho. Até com Canil e armamentos adequados. Os Guardas foram contemplados pela gestão municipal. 


Em Camocim, o único carro oficial que a Guarda tinha está abandonado há 03 anos, por falta de conserto. A gestão preferiu alugar um veículo no valor de R$12 mil, sendo que o conserto do carro l não chega a R$ 20mil.


Hoje os guardas andam em 03 motos sucateadas, todas elas com mais de 10 anos de uso. Isso é uma vergonha para a gestão. Rádio de comunicação? há anos eles não sabem oque é isso. Se quiser, o guarda tem que colocar crédito no seu celular para se comunicar com os demais. A guarda sequer tem sede própria e nem ao menos possui CNPJ próprio para receber verba direto da Senasp - Secretaria Nacional de Segurança Pública".