Ação que pede cassação de Betinha e inelegibildade de Monica Aguiar havia sido denúncia de Marcos Coelho ao MP - Revista Camocim

Clique na imagem e se inscreva no nosso canal


Clique na imagem e conheça nossos produtos e ofertas

Clique na imagem e conheça nossos produtos e ofertas


Clique na imagem e fale com a gente

Em Camocim, hospede-se nos hotéis Ilha Park e Ilha Praia Hotel. Clique na imagem e faça sua reserva




quarta-feira, 6 de setembro de 2023

Ação que pede cassação de Betinha e inelegibildade de Monica Aguiar havia sido denúncia de Marcos Coelho ao MP



O vereador Marcos Coelho denunciou, em fevereiro de 2017, aos representantes do  Ministério Público  Estadual, inclusive ao Eleitoral, a propaganda  politica que a prefeita Monica Aguiar, junto com a sua secretária da Educação, hoje atual prefeita, Betinha Magalhães, fez  na distribuição dos kit's escolares entregues aos alunos das escolas da rede pública municipal.


Recentemente, o promotor de Justiça Rodrigo Calzavara resolveu promover uma Ação pedindo a condenação da ex-prefeita Monica, tornando-a inelegível,  e a cassação do mandato da prefeita Betinha. As duas, de acordo com a Ação do promotor,  cometeram crime de improbidade administrativa, conforme provava a denúncia de 2017, assinada por Marcos Coelho. 


LeiaMinistério Público pede a cassação do mandato da prefeita Betinha e inegibilidade da ex-prefeita Monica Aguiar 


O matéria escolar estampava a imagem da prefeita Monica, configurando marketing pessoal da gestora,  ferindo o princípio da impessoalidade na administração pública. 


Além da foto da prefeita, os eventos de entregas eram verdadeiros comícios eleitorais nas escola.


Na época,  em postagem no Facebook, Marcos Coelho lembrou: "A Câmara Municipal de Camocim, desaprovou 2(dois) Requerimentos nossos, que pedia explicações sobre o uso pessoal e político, por parte da Prefeita Monica Aguiar e do seu Esposo, Dep. Sergio Aguiar, na entrega dos 10 mil kit's escolares; mas nossa luta continua....agora na Promotoria e na Justiça. Camocim não é uma cidade sem lei!"


Segue cópia do despacho da Promotoria na época .