Líder de Elmano diz que Élcio "deve tudo a Camilo" e "nunca foi nada na politica" - Revista Camocim

Clique na imagem e se inscreva no nosso canal


Clique na imagem e conheça nossos produtos e ofertas

Clique na imagem e conheça nossos produtos e ofertas


Clique na imagem e fale com a gente

Em Camocim, hospede-se nos hotéis Ilha Park e Ilha Praia Hotel. Clique na imagem e faça sua reserva




sexta-feira, 28 de julho de 2023

Líder de Elmano diz que Élcio "deve tudo a Camilo" e "nunca foi nada na politica"


O líder do governo Elmano de Freitas na Assembleia Legislativa, deputado Romeu Aldigueri (PDT), reagiu às falas do vice-prefeito de Fortaleza, Élcio Batista (PSDB), que mais cedo nesta quinta-feira, 27, disse à rádio O POVO CBN que Elmano está levando a relação com Sarto “pelo fígado”, sob orientação do ex-governador e atual ministro da Educação, Camilo Santana (PT).


Aldigueri disse que faltaria “coerência e lealdade” da parte de Élcio, por já ter sido chefe de gabinete de Camilo e secretário-chefe da Casa Civil, entre os anos de 2015 a 2020. “O vice-prefeito que nunca foi candidato e nunca foi nada na política. Ele foi chefe da Casa Civil. Todos os programas (da gestão) passaram por ele, ele fez parte disso. Ele teve seis anos para resolver e por que não resolveu? É cuspir no prato que comeu”, disse.


O deputado criticou as colocações por considerar que o grupo “deve tudo ao senador Camilo”. Sarto deve se encontrar com Elmano em agosto e a ponte deve ser um dos assuntos do encontro. Aldigueri adianta que o prefeito poderá também apresentar “novos projetos” e que Elmano quer ter uma boa relação institucional.


O novo capítulo da tensão entre governo e prefeitura vem após decisão do prefeito José Sarto (PDT) de assumir a responsabilidade pela reforma da Ponte dos Ingleses. Acordo prévio previa que o Palácio da Abolição desse continuidade à segunda etapa das obras de requalificação do espaço, o que não aconteceu, segundo a gestão estadual, por falhas e risco de desabamento da estrutura após intervenção feita pelo município. Tudo foi apontado em laudo cujo conteúdo é rechaçado pela administração de Sarto. 


O POVO