Maconha: STJ autoriza homem a cultivar cannabis para tratar ansiedade - Revista Camocim

Clique na imagem e se inscreva no nosso canal


Clique na imagem e conheça nossos produtos e ofertas

Clique na imagem e conheça nossos produtos e ofertas


Clique na imagem e fale com a gente

Em Camocim, hospede-se nos hotéis Ilha Park e Ilha Praia Hotel. Clique na imagem e faça sua reserva




terça-feira, 6 de junho de 2023

Maconha: STJ autoriza homem a cultivar cannabis para tratar ansiedade


Rogério Schietti, ministro do Supremo Tribunal de Justiça (STJ), autorizou que um homem com ansiedade generalizada cultivasse plantas de cannabis (maconha) para tratamento medicinal. O paciente pode cultivar até 354 plantas por ano.


A defesa do morador do estado do Paraná alegou no processo que ele sofre de ansiedade desde da infância, mas que veio piorando com o passar dos anos, apresentando sintomas mais graves.


Em 2020, o homem, que não teve sua identidade revelada, começou um tratamento com maconha medicinal com prescrição médica.


O médico prescreveu extratos e flores in natura de cannabis, porém, o paciente tinha dificuldades de encontrar estes produtos no mercado nacional e internacional, sendo possível apenas por meio do cultivo caseiro.


Além disso, o paranaense reclamou dos altos custos das medicações, o que tornava o tratamento inacessível.


Maconha: ministro concedeu autorização a partir de laudos profissionais 


O ministro Rogério Schietti concedeu o salvo-conduto a partir do laudo médico que justifica o uso da planta no tratamento do paciente.


Também foi apresentado no processo um documento de um engenheiro-agrônomo especificando a quantidade de plantas que deveriam ser cultivadas e a autorização da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para a importação do canabidiol. 


Ficou firmado que o paciente pode plantar e extrair o óleo da cannabis com o intuito de continuar o tratamento e seguir as especificações do laudo do engenheiro-agrônomo.


O POVO