Bezerra nasce sem patas dianteiras no interior do Ceará - Revista Camocim

Clique na imagem e se inscreva no nosso canal


Clique na imagem e conheça nossos produtos e ofertas

Clique na imagem e conheça nossos produtos e ofertas


Clique na imagem e fale com a gente

Em Camocim, hospede-se nos hotéis Ilha Park e Ilha Praia Hotel. Clique na imagem e faça sua reserva




quinta-feira, 1 de junho de 2023

Bezerra nasce sem patas dianteiras no interior do Ceará


Uma bezerra nasceu sem as patas dianteiras e impressionou agricultores e sertanejos na localidade de Jurema Velha, em Banabuiú, no Interior do Ceará. O animal veio ao mundo há cerca de 15 dias e está separada da mãe, pois a vaca a rejeitou após o nascimento.  


De acordo com o agricultor Sebastião Firmo, de 58 anos, ele e a família ficaram assustados quando viram a bezerra, mas estão cuidando dela. Como não possui as patas da frente, ela tem pouco suporte e precisa ser alimentada com mamadeiras. Em pé, ela relembra a aparência de um canguru. 


"Nunca tinha visto isso na minha vida. Todo mundo achou curioso. Muita gente ligando e pedindo para ver a bezerra. Ela é de um amigo da família que tem um lote aqui perto e por enquanto ela ficará conosco", comenta Sebastião. 


A vaca que deu à luz está no mesmo lote, mas em um curral diferente, pois ela tentou pisotear a filhote, segundo o agricultor. "É a primeira cria dela", disse o sertanejo. 


A bezerra de Banabuiú nasceu com agenesia, de acordo com o médico veterinário Airton Alencar de Araújo, professor de Universidade Estadual do Ceará (Uece). A condição se dá quando a cria não possui genes certos para que os órgãos se desenvolvam. 


"É a falta de formação dos membros. Provavelmente a mãe pode ser sido contaminada por algum vírus ou substâncias tóxicas. Também pode ser uma questão genética e consanguínea. São fatores que influenciam na expressão dos genes", explica o docente de genética animal e ovino e caprinocultura. 


Conforme Alencar, o animal consegue viver por um bom tempo, mas será uma vida "totalmente dependente" por ter dificuldades de mobilidade e de alimentação. 


Sobre a rejeição da mãe, o professor aponta que é um caso normal, pois a vaca faz uma espécie de "seleção natural" de suas crias. Como a bezerra nasceu sem duas patas, é considerada mais fraca. 


OUTRO CASO NO CEARÁ 


Um caso parecido aconteceu na Fazenda Várzea Alegre, em Madalena, no sertão do Ceará. Em 2010, a família do pecuarista Francisco Almir Frutuoso Severo, o Chico Almir, viu uma bezerra sem patas dianteiras nascer. 


O filhote recebeu o nome de Canguru, pela semelhança com o animal australiano. À época, apesar de assustado com o bovino, eles se dispuseram a cuidar bem dela. 


Diário do Nordeste