Após pedir demissão, ex-secretário adjunto do governo Betinha sofre perseguição politica - Revista Camocim

Se inscreva nosso canal no YouTube


Clique na imagem e conheça nossos produtos e ofertas

Clique na imagem e conheça nossos produtos e ofertas


Clique na imagem e fale com a gente

Em Camocim, hospede-se nos hotéis Ilha Park e Ilha Praia Hotel. Clique na imagem e faça sua reserva




sábado, 24 de junho de 2023

Após pedir demissão, ex-secretário adjunto do governo Betinha sofre perseguição politica


A prefeita Betinha,  a mando do deputado estadual Sérgio Aguiar, está perseguindo politicamente o ex- subsecretário de segurança pública,  Anderson Alves,  que pediu demissão do cargo por não suportar a humilhação política e de governo as quais foi submetido.


Entenda: 


1 - Anderson é suplente de vereador do PDT de Camocim,  comandado por Sérgio Aguiar, que por sua vez também manda na gestão municipal. 


2 - Integrando o governo Betinha Aguiar, Anderson Alves passou a perceber e discordar dos erros da gestão, e ao fazer os devidos alertas internos, objetivando as devidas correções, passou a ser mal visto e consequentemente boicotado politicamente, durante um ano e seis meses, sem ter seus pleitos atendidos junto às comunidades e eleitores aos quais mantém assistência. 


2 - Soma-se a isso o fato de que a gestão continuou persistindo nos erros, prejudicando a população. 


3 - Sem voz e sem vez, sendo boicotado e descredibilizado,  Anderson pediu demissão.


Detalhe: chegaram a duvidar!  Esperavam a plena  e humilhante subserviência do sub-secretario. 


A perseguição política 


Pessoas ligadas  à Anderson foram penalizadas pela  prefeita Betinha, a mando de Sérgio Aguiar, que determinou: 


 - a exoneração de quatro professores;


- a exclusão de um dono de transporte de um rota escolar;


 - a demissão de sua esposa , que trabalhava como atendente na UPA 24h;


- a demissão de sua irmã, assistente social, do quadro da Secretaria do Desenvolvimento Social e Cidadania;


- perseguição a um diretor escolar, da zona rural, que está sendo ameaçado de perder a comissão.


Fora esses casos mais robustos,  existem outros relatos de perseguições em andamento na gestão.


Carlos Jardel