Professora Aldacy chuta o que chamam de terceira via; bastidores dão conta de sua aliança com Sérgio Aguiar - Revista Camocim

Clique na imagem e se inscreva no nosso canal


Clique na imagem e conheça nossos produtos e ofertas

Clique na imagem e conheça nossos produtos e ofertas


Clique na imagem e fale com a gente

Em Camocim, hospede-se nos hotéis Ilha Park e Ilha Praia Hotel. Clique na imagem e faça sua reserva




sábado, 6 de maio de 2023

Professora Aldacy chuta o que chamam de terceira via; bastidores dão conta de sua aliança com Sérgio Aguiar

A professora Aldacy disse meias verdades em recente postagem em rede social tratando do seu desligamento politico do grupo comandando pelo casal Chico Vaulino e Euvaldete Ferro. Entenda.


1 - A realidade é: Aldacy chutou, neste momento,  foi o que estão chamando de 'terceira via'. Ela se desfilou do União Brasil, sigla partidária da qual integrava a Comissão Provisória.  Partido sem qualquer ligação com a Tijuca.


2 - Aldacy, segundo os bastidores, está de malas prontas para embarcar na gestão municipal, assumindo um cargo de confiança no governo Betinha dos Aguiar. 
 

3 - É preciso contextualizar a questão para melhor entender.   Faço isso nas linhas abaixo.


Mas, antes de seguir, calma!, informo: não vou entrar, pelo menos agora, no mérito da questão existente entre a professora e o vereador Marcos Coelho. O fórum ideal já cuida  do assunto.


Dito isto, de volta ao centro "das meias verdades", garanto: a professora Aldacy rompeu sim, com a Tijuca, mas isso há bastante tempo, e não foi o vereador Marcos Coelho  o motivo.  O rompimento aconteceu na primeira campanha eleitoral do ex-presidente Bolsonaro, ocasião em que ela, bolsonarista que é, nas redes sociais, disparou contra o casal líder da oposição grosseiras indiretas, ensaiando, já naquele momento, a primeira versão fajuta de uma terceira via ideológica de direita, que não obteve, lógico, sucesso.  


Ou seja Aldacy fez oposição ao grupo de Chico Vaulino,  o que desconserta o primeiro parágrafo de sua postagem, em que fala da "falta de consideração": 


"Como todos sabem, sempre fui uma pessoa  engajada nos movimentos político da Tijuca  em Camocim, pessoa que se envolveu, levantou bandeira nos momentos de vitórias e derrotas sem medir esforços. Pois é, de nada serviu esse  envolvimento para que o casal, " líderes da oposição " tivesse alguma consideração por mim". 


Como a primeira versão de terceira via ideológica não decolou, passado a eleição presidencial, filiada ao partido do Bolsonaro, a professora se reaproximou da Tijuca, mas 'só de migué' - ela e partidários - para conseguir palanque na eleição municipal, momento em que disputou a vereança. 


E sabe qual o resultado disso?  Resposta:  o partido da professora fracassou nas urnas! Nem suplentes conseguiu emplacar. 


Revoltada, ela resolveu procesar na Justiça Eleitoral -  também sem êxito - todos os candidatos do PSDB, partido historicamente aliado da Tijuca.  Vale lembrar que  na época,  a nora do ex-prefeito Chico Vaulino, Dra.Iracema, foi candidata a vereadora pelo partido dos tucanos. Ou seja, a professora, que reclama falta de consideração, nem ao menos poupou familiares do casal Tijucano.


De volta ao convívio dos rompidos, a professora Aldacy voltou a ser oposição ao Tijuca nas  eleições presidenciais do ano passado (2022),  apoiou, de cabo a rabo, mais uma vez, candidatos opostos ao projeto Vaulino, alimentando e defendendo, supostamente, uma nova possibilidade de terceira via. 


Digo: defendendo "supostamente" porque a bolsonarista já pulou fora. E se, de fato, sua aliança com Sérgio Aguiar se concretizar,  retorno para continuar tratando do assunto.


Carlos Jardel