MPCE recomenda que Município de Camocim promova feiras culturais periódicas em mercado público da cidade - Revista Camocim

Se inscreva nosso canal no YouTube


Clique na imagem e conheça nossos produtos e ofertas

Clique na imagem e conheça nossos produtos e ofertas


Clique na imagem e fale com a gente

Em Camocim, hospede-se nos hotéis Ilha Park e Ilha Praia Hotel. Clique na imagem e faça sua reserva




quarta-feira, 10 de maio de 2023

MPCE recomenda que Município de Camocim promova feiras culturais periódicas em mercado público da cidade

O Ministério Público do Estado do Ceará (MPCE), representado pela 1ª Promotoria de Justiça de Camocim, recomendou a esse Município, na última sexta-feira (28/04), ações para fomento da Cultura, dentre elas a utilização de espaço do Mercado Municipal para realização de feiras culturais periódicas, assim como mapeamento dos artistas residentes na cidade, visando incentivar, assim, a efetivação do direito à Cultura para a população camocinense.


No documento, o promotor de Justiça Rodrigo Calzavara indica que a Secretaria Municipal de Cultura e a Procuradoria Geral do Município apresentem, a cada quatro meses, um cronograma para exposição dos trabalhos dos artistas locais, e, semestralmente, façam o mapeamento desses profissionais, inserindo-os nas associações culturais existentes. É solicitado, ainda, um projeto de utilização do Mercado Público Municipal, especificando os eventos a serem realizados no espaço.


Na Recomendação, o MPCE argumentou que a Promotoria de Justiça tomou conhecimento de que o segundo andar do Mercado Público de Camocim está em desuso, mas dispõe de potencial para utilização cultural pela cidade. Diante da situação, o Ministério Público cita também a necessidade de efetivação da Lei nº 14.399/22, a qual institui a Política Nacional Aldir Blanc de Fomento à Cultura.


A Secretaria de Cultura de Camocim e a Procuradoria Municipal já foram notificadas da Recomendação, em reunião com o promotor de Justiça Rodrigo Calzavara. O órgão ministerial esclarece que o descumprimento das ações implicará na adoção de medidas cabíveis. 


Fonte: MPCE