Ceará tem maior reserva hídrica dos últimos 10 anos - Revista Camocim

Se inscreva nosso canal no YouTube


Clique na imagem e conheça nossos produtos e ofertas

Clique na imagem e conheça nossos produtos e ofertas


Clique na imagem e fale com a gente

Em Camocim, hospede-se nos hotéis Ilha Park e Ilha Praia Hotel. Clique na imagem e faça sua reserva




segunda-feira, 29 de maio de 2023

Ceará tem maior reserva hídrica dos últimos 10 anos



Prestes a encerrar a quadra chuvosa de 2023, o cenário dos açudes no Ceará é o mais animador na última década. O volume de 9,49 bilhões de metros cúbicos (51,2% da capacidade total). É a maior reserva armazenada desde janeiro de 2013. No começo deste ano, o percentual era de 31,4%, segundo o Portal Hidrológico.


E isso se reflete ao se observar as bacias hidrográficas do Estado. Tomando como base a comparação do volume de água nas 12 regiões hidrográficas do Ceará na última sexta-feira (26) e um ano antes, em 26 de maio de 2022, todas estão com maior volume de água.


Os dados são do Portal Hidrológico do Ceará, da Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos do Governo do Estado (Funceme) e da Companhia de Gestão dos Recursos Hídricos (Cogerh).



A região que teve maior aumento de volume entre as duas datas foi a Bacia do Banabuiú. De 26 de maio de 2022 até 1º de março de 2023, a média de volume de todos os 19 açudes que compõem a bacia, juntos, foi de 10,8%. Na última sexta (26), a região atingiu o volume máximo registrado no período do ano analisado: 41,7%. O aumento na Bacia do Banabuiú, considerando 26 de maio do ano passado e a última sexta, foi de 324%.


Outro destaque é a Bacia do Curu, que teve aumento de 79%, passando de 222,8 hm³ para 398,9 hm³. Ela conta com 14 açudes e abrange um espaço de 15 municípios do Estado, entre eles Apuiarés, Canindé, Caridade, General Sampaio e Guaramiranga. Apesar do maior volume em relação a 2023, os açudes que a compõem estão, juntos, com 37,8% da capacidade.


No outro extremo está a bacia Metropolitana, com aumento de aproximadamente 1% em relação a 2022. À época, 81,9% da capacidade dos 23 reservatórios que fazem parte dela já estava completa, e na última sexta-feira esse percentual era de 82,5% — por isso a baixa variação. Ao todo, 32 municípios compõem as Bacias Hidrográficas Metropolitanas, entre eles Aquiraz, Aracoiaba, Baturité, Cascavel, Caucaia, Fortaleza, Horizonte, Itaitinga e Maracanaú.


Região Hidrográfica composta pelo maior número de açudes, o Médio Jaguaribe conta com 24 reservatórios e se expande por 24 cidades, como Iguatu, Jucás, Nova Olinda, Orós, Santana do Cariri e Tauá. De 48,9% do volume total de todos os açudes preenchido um ano atrás, a bacia passou para 65,4% em 2023.


À medida que o fim da quadra chuvosa se aproxima, a quantidade de açudes que estão sangrando vem reduzindo. Se no início deste mês o monitoramento da Funceme e da Cogerh apontavam 67 dos 157 açudes transbordando, na última sexta-feira (26) esse total era de 46 açudes — 41% do total.


Já aqueles reservatórios que estavam com capacidade acima de 90%, que em 1º de maio eram 14, passaram para 35 (31%). Por fim, nesse período, dois açudes entraram na categoria daqueles que estão com menos de 30% de volume, somando 32 (28% dos açudes monitorados).


Diário do Nordeste