Reclamação: "falta remédio para 'pressão alta' no posto de saúde da Boa Esperança; o único que tinha, estava vencido. - Revista Camocim

Colégio Marujo, 15 anos! Na rota da educação!

Colégio Marujo, 15 anos! Na rota da educação!
Clique na imagem

Contato: (88)9 9937-1998

Contato: (88)9 9937-1998

Clique na imagem e conheça os cursos preparatórios e apoio educacional


Clique na imagem e conheça os produtos







quinta-feira, 5 de janeiro de 2023

Reclamação: "falta remédio para 'pressão alta' no posto de saúde da Boa Esperança; o único que tinha, estava vencido.


"Está com 24 dias que minha mãe fez uma cirurgia, e até agora só veio uma enfermeira ver ela". 


Segue a denúncia de uma moradora de Camocim, sobre o atendimento da Unidade Básica de Saúde do bairro Boa Esperança. 


"Queria fazer denúncia. Sou de Camocim, moro na Bandeirantes [bairro Boa Esperança], e aqui, no nosso posto de saúde, está faltando remédio para pessoa com pressão alta. É uma falta de vergonha, porque a prefeita fala que não falta remédio, mas falta. 


Está com 24 dias que minha mãe fez uma cirurgia, e até agora só veio uma enfermeira ver ela. E ontem, minha mãe piorou. Levei ela pro posto, o médico olhou a pressão dela, tava alta e o único remédio que tinha no posto, para o controle da pressão, estava vencido. Uma vergonha. 


E ele [o médico] passou pro pessoal do posto verificar a pressão da minha mãe durante 4 dias, só até agora não veio ninguém. Está com dois dias que ficamos nos humilhando no posto para alguém vim olhar a pressão da minha mãe aqui em casa, mas ninguém aparece. Os vizinhos é que estão vindo medir a pressão da minha mãe todos os dias, porque eles [lá do posto] tão né ai.


A agente comunitária de saúde veio agora, à tarde, falar que amanhã ia ver se alguém lá do posto poderia vir aqui em casa, fazer o acompanhamento da minha mãe.


Estamos sofrendo com a falta dos remédios nos postos de saúde e com e falta de acompanhamento médico e de enfermeiro na casa da minha mãe, que fez uma cirurgia. Desrespeito com a população".



Carlos Jardel

via Miqueias Santos