Precariedade no Caps II: forro desabou, servidores desvalorizados e equipe profissional reduzida - Revista Camocim

Colégio Marujo, 15 anos! Na rota da educação!

Colégio Marujo, 15 anos! Na rota da educação!
Clique na imagem

Contato: (88)9 9937-1998

Contato: (88)9 9937-1998

Clique na imagem e conheça os cursos preparatórios e apoio educacional


Clique na imagem e conheça os produtos







quinta-feira, 19 de janeiro de 2023

Precariedade no Caps II: forro desabou, servidores desvalorizados e equipe profissional reduzida

"A gente percebe o quanto que a administração não está "nem aí" para a saúde"

Fotos e texto foram enviados ao blog por um leitor conhecedor da realidade do CAPS II de  e da gestão municipal da saúde pública de Camocim. 


"A atual gestão despreza os equipamentos tal qual o seu funcionalismo. Perceba, por exemplo, que é sintomático de uma gestão ineficaz quando um cidadão camocinense vai em um estabelecimento de saúde e não encontra um assistente social, como no caso do CAPS AD, ou quando neste equipamento a equipe está tão reduzida que os funcionários encontram-se em uma situação de acumulação de funções e sobrecarregados. O que acontece? Afinal, até sabemos, no entanto, Camocim vive num "faz de contas": a gestão faz de contas que trabalha com imenso afinco de trazer o progresso e modernidade ao município, os funcionários públicos fingem que estão satisfeitos e a população acha que está sendo bem assistida.


A gente percebe o quanto que a administração não está "nem aí" para a saúde. E isso é visível ao passar em frente ao  prédio que briga a secretaria e notar que não tem nada que a identifique.


E o que dizer quando o cidadão vai a um equipamento público, em mais de uma ocasião, e o encontra pior que o da primeira vez?!  Hum? Esse é o caso das imagens que ilustram esse desabafo, fotos do interior do CAPS II, de Camocim, que antes tinha rachaduras visíveis no teto, e que desde dezembro de 2022 que está assim, após uma parte do teto desabar..."