Presidente do Todos Pela Educação sobre Izolda Cela: "tem muita chance" de ser ministra da educação - Revista Camocim

Super promoção "Matrícula Premiada" do Colégio Future.

Super promoção "Matrícula Premiada" do Colégio Future.

26 de novembro: Show do Hungria em Camocim no Ilha Park

Colégio Future com matrículas abertas para 2023

Colégio Future com matrículas abertas para 2023

Clique na imagem e conheça os cursos preparatórios e apoio educacional


Clique na imagem e conheça os produtos







terça-feira, 8 de novembro de 2022

Presidente do Todos Pela Educação sobre Izolda Cela: "tem muita chance" de ser ministra da educação



Pelas redes sociais, a co-fundadora e presidente-executiva do Todos Pela Educação, Priscila Cruz, declarou que há "muita chance" da hoje governadora Izolda Cela (sem partido) assumir o ministério da Educação no governo Lula a partir de 2023.


Respondendo ao ex-presidente do Partido Novo, João Amoedo, Priscila escreveu que participou da reunião de transição do Governo, nesta terça-feira (8), e que a possibilidade é concreta.


"Cláudia Costin e eu estávamos na reunião da transição de hoje de manhã. E Izolda Cela tem muita chance de ser a primeira ministra mulher desde a redemocratização", disse a presidente.


A publicação é uma resposta à sugestão de Amoedo de que gostaria de ter nomes como Priscila Cruz, Cláudia Costin e Izolda Cela como quadros discutindo a educação brasileira.


"Pérsio Arida e André Lara Resende são ótimos nomes para a Economia. Não podemos retornar as políticas desastrosas dos últimos governos petistas. Gostaria de ver na Educação, outra área fundamental, quadros competentes como Cláudia Costin, Priscila Cruz e Izolda Cela", publicou o ex-candidato a presidente do País.


ESPECULAÇÃO


Desde antes do resultado eleitoral, o nome da governadora cearense é ventilado para assumir a vaga de ministra da Educação.


Izolda, no entanto, não tem feito declarações sobre a possibilidade. Discreta, a governadora vai aguardar as definições em Brasília entre o presidente eleito, Luiz Inácio Lula da Silva, e os partidos aliados.


Diário do Nordeste