Secretaria da Saúde recolhe lotes de dipirona que pode causar reações adversas em hospital de Fortaleza - Revista Camocim

Clique na imagem e fale com a gente

Clique na imagem e conheça nossos produtos e ofertas

Clique na imagem e conheça nossos produtos e ofertas

Financiamento a partir de R$160 mil.Venha conversar com a gente. Clique na imagem.


Em Camocim, hospede-se nos hotéis Ilha Park e Ilha Praia Hotel. Clique na imagem e faça sua reserva




terça-feira, 6 de setembro de 2022

Secretaria da Saúde recolhe lotes de dipirona que pode causar reações adversas em hospital de Fortaleza

A  Secretaria da Saúde do Ceará (Sesa) recolheu dois lotes de dipirona endovenosa e suspendeu a aplicação do medicamento após notificação, no último sábado (3), de suspeitas de reações adversas em pacientes internados no Hospital Geral de Fortaleza. Não há óbito confirmado até o momento.


Conforme nota divulgada pela pasta nesta segunda-feira (5), foi aberta uma investigação com apoio da Vigilância Sanitária (Covis) e do Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde (Cievs). Além disso, as ampolas recolhidas serão analisadas.


Ainda segundo a Sesa, desde o ocorrido no fim de semana, não há registro de reações adversas ao uso de dipirona em outros lotes, além dos já retidos.


"Dessa forma, por ser um dos fármacos mais utilizados em unidades de saúde, o medicamento continua sendo administrados em pacientes dos hospitais da Rede Sesa", informou a Secretaria da Saúde.


De acordo com uma circular do Hospital Geral, o estoque de dipirona recolhido sob a supervisão dos farmacêuticos plantonistas da unidade pertencem aos lotes: DP22D145 e DP22G251C da Indústria Farmace.


Conforme o HGF, durante o recolhimento foi feita a computação do local de origem, quantidade de medicamentos e o número do lote, para posterior investigação.


G1 Ceará